Visitante nº

sábado, 22 de dezembro de 2012

CABRA BITA

Bem que eu poderia ter nascido gente, mas o Senhor lá do céu me trouxe a terra na condição de animal. Ainda bem que eu não sou igual a outros animais, crescem e quando chegam na fase adulta, vão para o abate.  Tenho hoje o privilégio de dizer que o meu dono é uma comunidade, que bom! Não serei vendida para o matadouro, pertenço aos moradores da Feirinha da Rola. Povoado São Domingos, que nada, quem faz a linguagem é o povo, mas o poder público sempre impõe. Para o povo, o povoado é Feirinha da Rola e não São Domingo. 

Nasci cabra, não devendo confundir com cabra safado, bandido, sem vergonha. A minha gente em mim colocou o nome de Cabra Bita. 

Moro na Feirinha da Rola. Os homens gostam de futebol:  Flamengo, Corinthians, Botafogo, Vasco, São Paulo, Fluminense. O que eu gosto mesmo é de acompanhar enterros. A morte não é bonita, mas ela une  família com brigas. O cortejo é acompanhado por amigos e inimigos. Nunca vi dois irmãos brigando no funeral, sempre vejo lágrimas e choro. As mulheres são mais chorosas.  Choram por amor, choram quando traídas e choram na partida de um ente querido. O choro de um homem, ele navega na cerveja e na cachaça. Vi já choro de homem, não pela mulher amada, todavia, porque seu Flamengo perdeu para o Vasco. Homem merece surra e chibata, veja alguns dizem" Prefere o futebol à mulher." Cabra sem consideração, queria muito se Lampião fosse vivo. O sujeito não dizia tal asneira, besteira.
Mataram Lampião ainda dormindo lá na Grota do Angico em 1938, a história mente, disse que houve confronto. 

A vida do pobre melhorou em todos os pontos de vista, vejamos: bolsa educação, bolsa família, vem agora , a bolsa cultura,  cinquenta reais para assistir cinema e teatro. Simão Dias tinha dois cinemas, o Brasil e Ypiranga. Coisa do passado,  eles já não existem.

A vida na Feirinha da Rola mudou para melhor.  Dona Santinha e dona Lourdes Mendes vinham da cidade de Simão Dias para ensinar. Hoje, o povoado tem colégio. Dona Lourdes viajou para a cidade dos pés juntos e dona Santinha mora lá nas bandas de Maceió. 

O ser humano vive mais nos tempos de agora, tem gente que chega a mais de cem anos, o arquiteto de Brasilia morreu com 105 anos. Quase que eu ia esquecendo o nome dele Niemeyer. E dona Eliza Montalvão acima de 90 dias. Ser humano para gostar de enterro igual a ela não tinha. Não cortejo funeral.

É pena que a vida de uma cabra não chega aos 20 anos. Já estou velha, mas não deixo de acompanhar os funerais. É o último ato de solidariedade a gente que vai embora para o reino do nunca mais.

A vaidade, o poder, o dinheiro nada vale. A morte é mais forte. Tenho que deixá-los,  o Zé Zuada morreu. pense um cabra que gostava de confusão. Vou a seu funeral.


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

LULA, INOCENTE OU CULPADO ?

Até prova em contrário, o ex-presidente da República - Luiz Inácio da Silva Lula - é inocente, apesar de Marcos Valério acusá-lo de ter participado do mensalão.

Ocorre que todos são iguais perante a lei, a condição de ex-presidente da República não o isenta de ser investigado.
O ex-presidente Lula suplanta em popularidade o  suicida Getúlio Vargas que se matou em agosto de 1954.
A cada novo dia , aumenta a solidadariedade em prol do presidente Lula.
A pergunta fica no ar,  a procuradoria da República vai solicitar inquérito policial, visando apurar a culpabilidade  ou a inocência de Lula?

A novela Salve Jorge amanhã terá um novo capítulo. E a participação de Lula no Mensalão terá vários capítulos ou o chamado arquive-se?
A solidariedade de vários governadores não salva o presidente das más línguas.
Uma coisa é certa, Lula continua amado e idolatrado pelo povo brasileiro.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

VIVER SAUDADE

Com cinco anos de idade, eu me era o menino rueiro, mas não um menino de rua, a cidade de Simão Dias o trânsito era calmo, algumas pessoas possuíam carros, Zé Valadares tinha uma rural, Dr. Salustino um Jipe, o senador Valadares um fusca, os filhos de seu Dorinha, o maior fazendeiro de Sergipe, quase todos tinham carros. De vez em quando, aparecia um caminhão na cidade, e os meninos pegavam uma punga. Seu Juca, pai do procurador de Justiça - Dr. Luiz Valter -  possuía um velho caminhão, que transportava passageiros para o sertão da Bahia. Gildo de Gumercindo sempre em seus carros elegantes, que nós meninos não sabíamos dizer o nome, carro é carro.
A vida mudou na cidade do interior. Quando vou a minha terra natal, ficou na casa de minha mãe, na rua de Santana, carro pra lá e pra cá, motos é um zum-zum.
Quase todo mundo tem um carrinho, outros, uma moto.
As peladas de futebol na rua Joviniano de Carvalho, já não podem acontecer, agora é um calçadão. As brincadeiras de cipó queimado foram trocadas pelos jogos eletrônicos.
Time de botão, os de micas de relógio já não existem.
Bate um saudade do grupo Escolar Fausto Cardoso, que os meninos diziam na rima da esculhambação: "
 
"GRUPO FAUSTO CARDOSO ENTRA GENTE SAI CACHORRO." Rima sem nenhum sentido, lá estudaram o governo de Sergipe, Marcelo Déda, o senador Valadares, o ex-prefeito José Valadares, o poeta e professor Udilson Soares, o secretário de educação, Belivaldo Chagas.
Às 10 horas da manhã, era o recreio do grupo, brincávamos de agarrar as meninas e beijar. Já não se brinca de beijo e abraço, o motel é a praça da juventude.
Minhas amadas professoras do Grupo, Valdice Teixeira, dona Norma, Sérgia e dona Aliete. Dona Norma, professora de rigor, aluno que chegasse atrasado , não mais entrava na sala de aula. Dona Norma era comadre de meu pai, a mim a cobrança era maior. Não fui ao sepultamento de minha professora, soube depois, mas tenho certeza que dona Eliza Montalvão não perdeu o cortejo, ninguém ganhava dela, pois enterro era com ela mesmo. Dona Eliza faleceu com mais de 90 anos.
 
O bom  é que a vida é transformação. Viver saudade também é viver.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O DIA DE SUA MORTE

Josué sempre ouvia de seu pai, um sertanejo da cidade de Coronel João Sá, lá nas bandas do sertão da  Bahia: " O homem tem o destino traçado, devendo morrer da morte morrida e da morte matada. Ninguém foge do dia de sua morte."
Naquele sábado, mês de maio, véspera do dia do trabalho, Josué acordou, fez o que era de costume, orou. O pai-nosso era como um café de manhã. Apesar da oração, Josué não estava se sentindo bem, uma coisa ruim, estava presa ao corpo, mas não sabia dizer o quê. Durante o dia vinha a lembrança de seu pai, tinha o genitor morrido tuberculoso.  Aos 13 anos, viu seu pai partir. Logo cedo, teve que trabalhar para dar sustento aos irmãos menores. A seca sempre esteve presente naquela cidade do interior, tornou-se aguadeiro, vendedor de água.  Dona Josefina, sua mãe, morreu de velhice. Josué tinha os cabelos prateados, no lombo vários anos vividos. Pai de nove filhos. Criar filhos não era tarefa fácil. O mais velho morreu antes de completar 50 anos. A doença foi fatal, a infeliz da meningite. Em cinco dias, depois da dor no pescoço, veio a morte e levou o filho homem, era o mais velho.
 
Josué ao meio dia tomou um alcatrão com mel. Era preciso beber, continuar o que fazia todos os dias, tomou cerveja, pitu. Ficou bêbado, à tarde, fez a sua sesta, dormiu. Acordou, o presságio continuava, lá na alma, uma coisa ruim ia acontecer.
 
Zero hora, a cidade dormia seu sono de descaso. Josué estava só. Um grilo cantava. Ouvia, ao longe, o canto de um galo desavisado. O guarda noturno dormia.
 
Ladrões arrombaram a janela da casa, Josué acordou assustado. De repente, um dos ladrões:
- Cadê o dinheiro?
- Não tenho!
- Tem sim, seu filho da puta.
- Filho da puta é você.
Josué recebeu do meliante um tapa na cara. Mais um, mais outro.
Veio outro marginal e tirou à força  Josué da cama.
Josué lutou contra os dois. Não houve jeito. Levaram até a sala. Lá fora um dos bandidos vigiava, visando dar proteção ao ato criminoso.
Josué conheceu um dos bandidos. Sempre dava café da manhã ao marginal.
- É você, Garcia! É o preço da gratidão que você vem me dar!!
Nesta hora, Josué recebeu uma paulada na cabeça.
E, naquele instante, veio a lembrança de seu pai, que cada um tem um destino.
Josué morreu da morte morrida.
E os marginais foram descobertos e enviados à penitenciária.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

OSCAR NIEMEYER E A LINHA

O arquiteto que construiu Brasília, Oscar Niemeyer, morreu ontem antes de completar 105. Ele nasceu no Rio de Janeiro no dia 15 de dezembro de 1907 e veio a falecer no dia 5 de dezembro de 2012. Filho de Oscar Niemeyer Soares e Delfina Ribeiro de Almeida.

FRASE DE NIEMEYER: " Meu avô, que foi ministro do Supremo Tribunal, morreu sem um tostão. Achei bonito ele morrer assim. Já disse que teria vergonha de ser homem rico. Considero o dinheiro uyma coisa sórdida."

Escrevemos um pequeno poema Niemeyer e a Linha:

Morreu Oscar Niemeyer,
O poeta da linha.
A linha perdeu o poeta!
A prancheta do arquiteto também vinha,
De lágrimas, chegaram a caneta e o lápis,
Todos em pranto na mesa e na cozinha.
O cigarro jogava no ar fumaça,
O arquiteto adormecido em sono profundo,
Já não mais traçava uma linha
De um prédio, uma rua, uma praça,
O sopro já não tinha.
A vida some como uma fumaça,
A morte chega a cada dia.
Dela ninguém faz alegria,
A triste morte todos passam,
Indefenida, dificil é saber o dia.

                            Poema de Osvaldo Abreu

DÉDA E 2O12

 

sábado, 24 de novembro de 2012

AVIÃO NO CÉU DE SIMÃO DIAS








Santos Dumont - Inventor do avião



Na infância, eu e outros meninos,  íamos para o campo de aviação ver o avião de Dr. Joãozito, irmão do ex-governador Celso de Carvalho. Nunca vi a cara do homem, porque quando a gente chegava,  um carro de luxo,  da gente do mercador,  tinha levado o rico que vinha de São Paulo.


 
O avião, quando adentrava no céu de Simão Dias, era um alvoroço, meninos correndo atrás do bicho de asas . Homens e mulheres saíam às ruas, todos queriam enxergar o objeto criado por Santos Dumont.
Hoje, penso que o Dr. Joãozito, dizia lá de cima: "Pobres coitados, gente inocente."
Trouxe meu filho Marcos Vítor do interior  para estudar em Aracaju. E lembro que o pequeno correu,um certo dia,  para a janela e gritou: " Pai, olhe um avião." Sorri, pensando no meu passado.
 
O menino já se acostumou com a vida da Capital. Já não grita pela máquina que voa no céu. Mas no jogo eletrônico destrói mais um avião. A coisa esta bem moderna, vídeo game. No tempo da minha infância, televisão era novidade.
 
Depois da novidade, vem o costume e tudo é rotina.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL E O MINISTRO JOAQUIM

O ministro Joaquim Barbosa nasceu em Paracatu, Minas Gerais. Deixou a cidade natal aos 16 anos e foi para Brasília estudar e trabalhar. Tornou-se advogado, procurador da República, por concurso, e foi nomeado ministro do Supremo no tempo de Lula, presidente do Brasil.

No julgamento do mensalão, foi o relator. Sério e austero, criou em todo Brasil um fã clube.

Joaquim Barbosa de família pobre, pai pedreiro e mãe doméstica. É negro.
Ontem, em sua posse, como o novo presidente do STF, ele em seu discurso, disse que o Brasil não trata todos com igualdade. Clamor o acesso de todos à Justiça. Não há dúvida, a partir de Joaquim Barbosa,  a Justiça brasileira não será mais a mesma.

VIVA A IGUALDADE RACIAL.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

l5 de NOVEMBRO E O CABAÇO DE ZEFINHA

Se perguntarem  a Constantino o que se comemora no dia 15 de novembro e o por que do feriado? Ele é tal qual milhões de brasileiros não sabe dizer a razão.  Ter conhecimento que foi no dia 15 de novembro de 1889, que um grupo de oficiais do Exército tomaram o poder, destituído o imperador Dom Pedro II e proclamando a República, fato ocorrido  na praça 15, hoje praça da República no Rio de Janeiro. E, naquele dia, o Brasil muda de regime de Imperial para o Republicano, sendo o primeiro presidente da República o marechal Deodoro da Fonseca, ali  estava estalado o governo provisório, sendo o vice-presidente  Floriano Peixoto do estado das Alagoas. Mas Constantino lembra que no dia 15 de novembro, que é feriado nacional, foi o dia que ele com 18 anos, rompeu o cabaço de Zefinha.

Às vezes,  fica pensando quem foi Zefinha? Era ela a  moça mais bonita do povoado Saquinho, sertão de Poço Verde em Sergipe. Todos queriam Zefinha de velho a novo. Belas ancas, grossas pernas, seios fartos.
E agora, Zefinha? De peitos caídos, um reumatismo, cabelos brancos, uma tosse, que a qualquer momento, perde o suspiro.

Velho safado, o Constantino,  esta namorando Lindete, a maior periguete da região, sustenta a sem-vergonha, a sujeita só vive bonita. O dinheiro da aposentadoria, ele dá a moça, que não perde nem casamento de boneca. Na região, quem nunca experimentou o gemido de Lindete?

Os amigos de Constantino sempre dizem: "Se besta, ela lhe chifra."

E Constantino: " É melhor ser corno com carne de filé do que com carne de pescoço."

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

CARTA INFELIZ

Juvenal amava Dulcinha loucamente. Todos os planos do futuro, Dulcinha estava em primeiro lugar. Viagem a Paris, uma nova casa, morar no Alfhaville, queria ter um filho, de preferência uma filha com Dulcinha.
 
Solteirão que fora, estava convivendo com Dulcinha. Não a queria tão somente para o instante do prazer, pensava em tê-la por toda vida.
 
Dulcinha loira, alta, bonita. Nem precisava malhar na academia. Tinha o corpo escultural, dos modelos da Grécia.
 
Dulcinha sempre gostou de escrever. A melhor amiga era a escrita. Seus desabafos estava no mundo das letras.
 
Naquela noite, em que Dulcinha dormia,  Juvenal procurando um recibo de água, encontrou uma carta de amor. Dizendo que amava Saratiel e com ele queria ter um filho.
 
Juvenal foi ao desespero. Conversou com Dulcinha. Ela disse que escreveu aquilo no momento da ira.
 
Juvenal sempre acreditou que o amor e o ódio andam juntos. Daquele dia em diante, ficou convivendo com Dulcinha, mas não tinha o amor de outrora. Estava vivendo por viver.
 
E, quando Dulcinha disse que ia embora. Juvenal não ficou no lamento. Até que disse intimamente: "É melhor assim..."
 
Dulcinha se mandou pra bandas do Sul. Três dias depois da viagem de sua companheira, Juvenal trouxe Helena , para com ele conviver.
 
Os anos se passaram. Juvenal nunca mais ouviu falar de Dulcinha e continua com Helena.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

CARLOS BRITTO, ADEUS















Fui aluno do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) lá na Universidade Federal de Sergipe. Bom professor de Direito Constitucional e um amigo do aluno, por muitas e muitas vezes, aluno e o mestre estavam na mesa de bar, bebericando.

Amanhã, é o dia do adeus do ministro Carlinho, para os íntimos, aposentadoria do ministro Carlos Brito, que completa 70 anos. Aposenta-se o ministro, mas o poeta continua, nem a morte o aposentará, poiis o que escreveu em poesia é eterno.

Quem bom! Os sujeitos do mensalão foram punidos. A coisa pública é séria. E foi na presidência de Carlos Britto que os corruptos do mensalão foram julgados. Quase nenhum absolvido.

E o ex-presidente da República, Lula, sabia ou não sabia do Mensalão? Há tanta dúvida no ar!!!!

Uma coisa é certa, a presidente da República, Dilma Rousseff, não brinca em serviço, uma mínima suspeita, o cara está no meio da rua.

SUCESSO, CARLOS BRITO, A POESIA NUNCA MORRE.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

DÉDA E A VIDA


Gostar ou não gostar do governo de Marcelo Déda Chagas, um simão-diense, um capa-bode, nascido em 11 de março de 1960, que morou na rua do Coité, atual Celso de Carvalho, é um direito seu. Todavia, todos nós devemos ser solidário na hora da agonia. O governador Déda tem um câncer no estômago, orar pela vida do nosso governador, é um ato de solidariedade, dever de todo cristão. Vamos orar juntos.

Déda, há uma luz dizendo VIDA, VIDA, VIDA.

MULHER CONVERSADEIRA

Dioneia era uma mulher que fazia amizade fácil. Casada com o policial Delando. O marido pertencia a polícia militar do Estado de São Paulo. Pai de três filhos. Dioneia no Facebook tinha mais de 2000 pessoas adicionadas.

Tudo que ocorria com a vida do marido, estava Dioneia contado na rede social. O marido, igual a corno, era o último a saber.

No dia que soube que Dioneia tinha muitos e muitos amigos na internet. Foi no dia de sua morte. O policial estava trabalhando e os bandidos souberam por intermédio da globalização.

O bandido de revólver em punho:

- Filho da puta, eu sabia que lhe pegava, sua mulher informou na internet que você estava na praça XV de novembro.

O pobre homem recebeu três tiros. Os dois meliantes saíram em alta velocidade.

domingo, 11 de novembro de 2012

FLUZÃO

Verdade seja dita, lá em Simão Dias-SE, na minha infância, era contado de dedo, os torcedores do Fluminense, Elias Valadares, Jorge Lins, Os filhos de seus Alcides, funcionário da Prefeitura Municipal, que faleceu prematuramente.

O governador de Sergipe, Marcelo Déda, fez parte da minha infância, péssimo jogador de futebol, ele flamenguista, a torcida do Flamengo tomava conta da cidade. Do Botafogo, igual ao Flu, uma minoria insignificante, meu irmão Antônio e Jorge de Tota. O Vasco era o segundo em torcida. Do América, um único torcedor, Abel Jacó dos Santos, um alfaiate, que se tornou Prefeito e Deputado Estadual. Comecei a torcer pro Flu em 1970. E neste ano, o Fluminense foi campeão da Taça de Prata, corresponde hoje a campeão do Brasil. Fluminense tornou Tetracampeão: 1979, 1984, 2010 e  2012.
Meu filho Marcos Vítor, 10 anos, já assistiu o seu time ser campeão por três vezes, campeão carioca e duas vezes do Brasil.
 
Ser tricolor do coração é festejar sempre e sempre.
 
FLUZÃO TETRACAMPEÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

sábado, 10 de novembro de 2012

TRAIÇÃO NA INTERNET

Dona Mariana dizia a seu filho Mateus: "Mulher é como cachorra se conhece pela raça." Se o dito fosse enunciado por um homem, as feministas diriam que é uma colocação machista. Dona Mariana era uma mulher da roça, quando queria dizer uma coisa, nem Jesus descendo de lá de cima, impedia-a.

Dona Mariana tinha cinco filhos. Mulheres eram três: Marta, Marli e Mônica. Adotou a letra M para seus pupilos, dois homens: Mateus e Murilo.

A sertaneja ficou viúva cedo. Até um compadre veio com gracinha, querendo chamego, ela mandou que o velho Zequinha se respeitasse. Daquele dia em diante, nunca mais quis uma prosa com o compadre. Falava a seus filhos: " De gente safada quero distância. Outros pretendentes surgiram, até um fazendeiro da Bahia. Dona Mariana era resistente e falava: "Nasci mulher pro homem só."

As meninas casaram cedo. Igual a mãe só conheceram um homem.  Os desejos na alma, ficam escondidos na hora da novela. Na hora da cama, ficavam imaginando, fazendo amor e sexo com os atores. Eram bonitas, no dia a dia , nunca traíram.
O filho Murilo trouxe no corpo o jeito feminino. Tristeza para sua mãe. A velha nunca tentou forçar a natureza, dizia que o que tem de ser já vinha  de berço.

Mateus veio para compensar, era safado, sem-vergonha, raparigueiro. Sempre brincou com o sentimento das meninas. E, um dia, olhe Mateus apaixonado. Clarete era a dona do coração de Mateus.

No primeiro dia que dona Mariana viu Clarete, disse reservadamente a seu filho: "Não fui com a cara desta dona, tem cara de safada e que bota chifres.

O filho retrucou: "Que isso, mãe, é uma moça direita."

A mãe respondeu: "Meu filho, o tempo da a resposta para tudo."

Clarete era filha única. Dona Silvia, quando nova, tinha um caso com o comerciante Ananias. Seu Belarmino morreu sem saber da traição. Mas a pequena cidade de Riachão sabia.
Mateus deu na telha que queria casar com Clarete. Dona Mariana: "Você casa, a decisão é sua, mas não tem o meu aval."

Eles casaram. No casamento,  até o ilustre Bode Bito se fez presente.

Mateus era moto-táxi. Clarete, estudante. Enquanto o marido trabalhava, ela ficava nas redes sociais. Na internet, conheceu Adamastor, um baiano, lá das bandas da Cajazeira. O cabra dizia ser empresário, todavia, era um traficante.

Numa segunda-feira, feira na vizinha cidade de Lagarto, Clarete falou ao esposo que ia visitar sua tia Camosa, que estava doente. O real motivo era o encontro com Adamastor. Depois da visita da tia doente, os internautas se encontraram. O encontro foi dentro do motel. Se Clarete soubesse que Adamastor era traficante e possuía AIDS, talvez não teria traído.

Marido e mulher adquiriram AIDS. Havia dúvida na mente de Clarete se a doença foi pegada de seu marido ou de Adamastor. Mateus acha que ele transmitiu a doença.

Depois de dois anos, primeiro morreu Mateus, um mês depois, Clarete. E o Bode Bito que não perdia enterro, acompanhou os cortejos.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

SERIEDADE NA POLÍTICA

É preciso punir o político que promete mais saúde, mais educação, caso não cumpra o que fora prometido. Enganar o povo com blá, blá, blá, para vencer uma eleição, deve ser um crime com o perder do mandato.

Há um novo tempo, o Mensalão foi punido por intermédio do Supremo Tribunal Federal (STF), muitos foram os que adentraram na política, visando SE FAZER e perderam o mandato por Improbidade Administrativa.

Novos Promotores Públicos estão bem atuando nas comarcas do interior e estão mostrando o bom trabalho.

O tempo é outro, nenhum político deve confundir o público como se fosse privado. A coisa pública pertence ao povo.

O administrador municipal que entrou na política,  visando se fazer, cuidado! Os fiscais do povo estão de olho.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

RITA LEE NA TERRA DURA

Na capital de Sergipe, Aracaju, o bairro Santa Maria, conhecido como Terra Dura é o lugar do abandono, da lama e do lixo. É o canto da discriminação do poder público. Nos palanques políticos, em tempo de eleição, os políticos prometem o melhor para a Terra Dura, depois vem o esquecimento. O fórum da Terra Dura no dia de hoje, dia 9 de novembro, teve uma visita ilustre , a cantora e compositora  RITA LEE. Vários policiais adentraram com uma AÇÃO DE INDENIZAÇÃO contra a artista, pois foram xingados, quando a roqueira fazia um show na Barra dos Coqueiros.

Estive por mais de meia hora conversando com a roqueira RITA LEE. Sou seu fã de carteirinha, desde o tempo da faculdade de Direito, contudo não aprovo o xingamento.

RITA LEE estava acompanhada da ex-senadora das Alagoas - Heloísa Helena e também com o músico Roberto Carvalho, seu esposo.

Aquela mulher que no palco xinga, provaca polêmica, é uma pessoa de boa recepção, que recebe bem seus fãs.
Acreditar que RITA LEE não será condenada , é tal qual crer no sexo dos anjos.

LAMPIÃO E O CAIPIRA

Um dos melhores escritores do CANGAÇO morreu, o sergipano ALCINO ALVES COSTA, sobrinho do cangaceiro ZABELÊ.   ALCINO gostava de ser chamado o Caipira do Poço Redondo, de tabaréu só de nome. Ele,  intelectual, poeta, escritor. Nascido em Poço Redondo, uma pequena cidade do interior de Sergipe, que deu mais de 20 cabras de Lampião. Terra da mulher guerreira e ex-cangaceira Sila, mulher de Zé Sereno.

Alcino escreveu os bons livros : LAMPIÃO ALÉM DA VERSÃO, SERTÃO DE LAMPIÃO, ambos esgotados e, recentemente, LAMPIÃO EM SERGIPE, sucesso em vendas e que é encontrado na livraria Escariz no Shopping Jardins em Aracaju-SE.

Alcino faleceu no dia 2 de novembro, dia de finado. Morrer não é boa coisa, todavia, para partir este é o melhor dia.

Alcino não fui ao seu funeral, senão estaria em seu cortejo. Meu amigo, que bom aquele encontro em Alagadiço, onde tive o prazer de conhecê-lo. Morreu sua matéria, mas seu espírito é vida e luz. Adeus, amigo.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

DIA DE SUA MORTE - FINADO

Todos nós, sem exceção, teremos o dia fatal, o dia da morte. Ninguém pode dela fugir. O dia do choro e da vela bate em todas as portas. A porta  pode estar fechada, mas dona morte é imperdoável, igual a um furacão, não perdoa, a morte física é inevitável. A espiritual vai além. O espírito não fenece, ele é eterno. O que consola a todos, dona morte não cria privilégio, todos são levados no mesmo barco. Pobres e ricos na mesma embarcação. É verdade, só há igualdade na morte, alguns dizem que não, pois existem mausoleus de mármore e granito. Pouco importa, porque a carne podre é a mesma, chamada defunto. A vaidade, a arrogância, o poder não possuem nenhuma valia. Viver de forma simples é o melhor remédio.As riquezas, com a morte, não são levadas. Façamos do hoje, o nosso último dia, porque o amanhã a gente não sabe, pode ser o dia de sua morte. Há um sol brilhando, uma criança sorrindo, um pássaro cantando,  a correnteza cantando por intermédio do rio. Você é vida, você é esperança, há muita coisa bonita que deve ser contemplada no dia de hoje, amanhã pode não mais existir tempo.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

FESTIVAL DE INVERNO

O frio baixa na terra dos Capa-bodes, em Simão DIas, no mês de julho, neste solo nasceram vàrios governadores de SErgipe : Pedro Freire de Carvalho, Sebastião Celso de Carvalho, Antônio CArlos Valadares e o atual governador MArcelo Déda CHagas. A cidade possui um clima propício para um Festival de Inverno. A serra do Cabral, local de morada do ex-prefeito de SImão Dias - ZÉ Valadares - e candidato a prefeito pelo PSB do senador Valadares, seu irmão, é o melhor lugar, lá existe estrutura, bom ponto turístico, do alto vê a cidade de SImão DIas, o clima é do Sul, mas não é para pingüim. A cidade tem tudo para um festival de Varão, prestígio político, Valadares, senador da República, Valadares FIlho, deputado Federal, candidato a prefeito de Aracaju, com bom relacionamento no MInistério do Turismo, governador MArcelo DÉda e o primo prefeito de SImão Dias - Dênisson Déda. O Sonho da gente de SImÃo DIas não é utopia, os homens do poder podem tornar realidade. DEUS já mandou chuva para nossa terra, o festival de Inverno só depende dos homens do poder.

sábado, 30 de junho de 2012

FORRÓ CAJU E O CANTOR SERTANEJO

Forró é forró, samba é samba, pagode é pagode, sertaneja é sertaneja.

O São Pedro no forró Caju só não foi melhor, visto que se colocou artista que não tem nada haver com o forró, é o caso de Gustavo Lima.
O forró Caju é uma das melhores festas do Nordeste brasileiro, evento que acontece no mês de junho em Aracaju, capital de Sergipe.
No forró Caju, muitos foram os artistas que se apresentaram: Flávio José, Elba Ramalho, Zé Ramalho, Alcimar Monteiro, Genival Lacerda, Adelmário Coelho, Trio Nordestino, As bandas Calcinha Preta, Aviões do Forró, Garota Safada, Limão com Mel.
Esperamos que a organização do Forró Caju,  no próximo ano,  não traga Rita Lee, Roberto Carlos, Belo, Alexandre Pires, Chico Buarque, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila,  afinal são bons artistas, todavia, não são forrozeiros.

LUIZ GONZAGA, o rei do Baião, não ficaria satisfeito, se vivo estivesse, no dia de São José, São João e São Pedro, com Rita Lee de rosa choque.

100 ANOS DE GONZAGÃO, VAMOS MANTER O NOSSO FORRÓ.

COMO DIZEM POR AÍ: CADA UM NO SEU QUADRADO.

VERDADE

Vale a pena dizer a verdade a outra pessoa? Quem, nesta vida, não disse uma verdade e depois se arrependeu?
O ser humano está preparado para ouvir a verdade?
A verdade liberta ou aprisiona?
É melhor falar a verdade ou ficar no silêncio?

Escrevemos um poema VERDADE:

O POETA NÃO É UM FINGIDOR,
ENUNCIA O QUE A ALMA SENTE,
GRITA A PRÓPRIA DOR!
DA PERFÍDIA, MENTE,
BOM ATOR, O CONQUISTADOR.
A FÊMEA É O QUE ESCUTA,
A PROSTITUTA PODE SER A SANTA,
VOVÓ OUVIRÁ: "ESTÁS ENXUTA."
NA VIDA, MAIS ESPANTA,
E SE FOGE DA LUTA,
A RIGOROSA VERDADE!
O VERAZ TERÁ SENTENÇA E MULTA!
BOM CONSELHO, Ó FELICIDADE,
O ESPÍRITO NÃO FICARÁ EM INSULTA,
O SILÊNCIO DA PEDRA VERDADE.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

TRAIÇÃO COM INDENIZAÇÃO

O casamento de  Josué com Maria das Dores foi do arromba. Ele, um operário na fábrica de cimento, gastou todas as suas economias: férias, décimo-terceiro e o dinheiro da caderneta de poupança. Noivado de mais de três anos. Maria das Dores continuava virgem, mesmo tendo 24 anos. Ele,  de 22 anos. Dizia ela as amigas:

"ELE SÓ ME COME  COM O CASAMENTO."

Josué era um cidadão pacato, bem poderia fazer amor com a sua noiva à força, isso nunca passou pela cabeça. Queria-a  livremente, tirando a calcinha e se deitando na cama, rolando no mesmo lençol.
Casaram. Na primeira noite, Maria das Dores não tirou a calcinha. Continuaram no mesmo roça, roça do tempo de noivado. Depois de 15 dias, a coisa aconteceu. Maria era virgem mesmo. O hímen foi rompido, a testemunha maior foi o branco lençol.

Coisa que Josué não esperava, era  que sua esposa tinha um relacionamento com Claudete.
Na internet, Facebook, ele viu as declarações de amor entre a esposa e a amante.

Depois de um mês, Josué deixou a casa em que morava com Maria das Dores.
Naquela pequena cidade do interior, ficou o disse-me-disse. Tão logo, Josué arranjou uma nova mulher, Valdirene, piriguete de carteirinha, mas boa amante.
Maria entrou com uma Ação de Indenização contra Josué, dizendo que foi traída. O Juiz deu uma sentença de R$ 30.000,00 mil reais, condenando Josué e sua amante. O doutor Nícolas se soubesse da verdade, machão como é, talvez não condenasse Josué.

Ele continua calado. Nem disse a seu advogado, que sua esposa tinha uma amante.
Tinha medo do comentário:

" FOI TROCADO POR UMA MULHER."

Josué pegou o nome de traidor. E sua esposa Maria das Dores passou a viver com outra mulher.
Josué divorciou de Maria das Dores. E vive bem com Valdirene, ex-piriguete. Um conto de Osvaldo Abreu

quinta-feira, 21 de junho de 2012

VIDA DO INTERIOR

A vida no interior melhorou, apesar da violência no campo e na cidade.
Nos anos 30, época do réis e vintém, se vivia muito mal. O homem do campo vivia no regime de escravidão na casa do coronel, que recebia comida e vestimenta, em troca oferecia o trabalho, tinha o nome de agregado.
Tempo bom é agora. Outro dia, ouvi uma canção Saco de Feijão de uma das melhores sambistas do Brasil - Beth Carvalho - onde  dizia: " No tempo do dez réis e vintém se vivia muito bem..." Vivia nada.
O trabalhador não possuía carteira assinada, a mulher não podia votar. O analfabetismo era gritante. Estudar mesmo era para o filho do coronel que se mandava para Aracaju, Recife, Salvador e Rio de Janeiro. Vinha doutor. O pobre sempre curvado como escravo.

  • JECA TATU representado pelo cinesta e ator Massaropi. O personagem Jeca Tatu foi criado pelo escritor brasileiro Monteiro Lobato em seu livro Urupês



Viva os novos tempos, no campo: o rádio, a televisão, a internet. A notícia do Japão chega quentinha como uma panela no fogão.
Já se tem saudade do fogão de lenha, o fogão elétrico e de bujão a gás cozinham a buchada da cabrita ou quem sabe, a galinha de caipira.
Motos e carros cortam o sertão. O gado é tangido pela moto. E a vida bucólica fora transformada pela violência no campo, mesmo assim, tudo é melhor.
Zefinha, filha de Januário, casou via internet.
Tabaréu ou matuto foi interrado pelo mundo da informação.
A informação que chegava no lombo do burro, vem correndo, bem depressa por intermédio do satélite.
Dulcinéia, com a seca, não vai plantar milho e feijão, vai passear em Paris.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

AVIÕES DO FORRÓ E A FESTA DA MANDIOCA




Nunca escrevo por intermédio do pronome pessoal Eu, hoje vou usá-lo, não hei de abusá-lo. Estive ontem na cidade sergipana de Lagarto no Festival da Mandioca com o show da banda cearense Aviões do Forró e a sergipana Calcinha Preta. Quem é a melhor? Ambas são do mesmo nível. Como forrozeiro de carteirinha, assisti também, este ano, Aviões em Paripiranga-BA, lá Aviões estavam com conversa fiada, todavia, tocando na terra dos papa-jacas, Aviões do Forró bem brilhou, bem encantou. As Aviões e as Calcinhas são bons estimulantes. Viagra e outros similiares são desnecessários. Elas encantam todas as tribos, homens e mulheres.

O festival da Mandioca tinha hoje como atração GAROTA SAFADA, mas a Justiça suspendou o evento.
Para nós,  forrozeiros e amantes do forró, péssima notícia.
Entonce, como dizem os argentinos, nada está perdido, hoje tem no Forró Caju, na capital de Sergipe - Aracaju, a BANDA LIMÃO COM MEL E ALCIMAR MONTEIRO.

Vou trabalhar amanhã, mais uma vez, com o olhar de vampiro.
Obrigação é obrigação, diversão é diversão.
Deixar de ir labutar jamais. Defensoria Pública é tal qual o SUS, o médico faltou , gera uma grande revolução.
Pode me chamar de abestalhado, gosto de assisti o show bem na frente, mesmo tomando alguns beliscões da mulher ao lado.
O espetáculo é as Meninas de Limão com Mel, boa limonada.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O ESCOLHIDO DE DÉDA

Filho é peixe, peixinho é. Valadares filho tem sido um bom deputado federal. Filho do senador Valadares.
Bem representa o Estado de Sergipe na Câmara Federal. Provavelmente, será o candidato a prefeito de Aracaju, pela coligação do governador Marcelo Déda, que inclui o PT, PMDB, PSB e alguns pequenos partidos.
O deputado federal do PT - Rogério Carvalho - não anda bem nas pesquisas.
O forte candidato a prefeito de Aracaju é o ex-governador de Sergipe - João Alves Filho, que já fora prefeito de Aracaju.
João Alves é candidato a prefeito pelo DEM. Sendo, atualmente, o preferido nas pesquisas.
O que tem de ser será. Ninguém pode modificar o destino.
O ex-governador de Sergipe - João Alves Filho e o atual - Marcelo Déda Chagas


Viu aquele menino, nascido em Simão Dias, filho de um funcionário público estadual, é o governador de Sergipe.
O cabra chama-se Marcelo Déda Chagas, cujo pai seu Manoel.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

LUIZ GONZAGA E JACKSON DO PANDEIRO


Uma justa homenagem que o povo brasileiro, em especial, a boa gente do Nordeste, presta ao rei do Baião - Luiz Gonzaga - pelo seu centenário.


Mas não se pode esquecer de outro nome de destaque o REI DO RITMO -  o paraibano Jackson do Pandeiro.


O cantor Alceu Valença disse que considera Luiz Gonzaga igual a Pelé, enquanto Jackson do Pandeiro, Garrincha.


Luiz Gonzaga , pernambucano, Jackson do Pandeiro, paraibano, são os dois melhores cantores clássicos do Forró Nordestino.


Nordeste sem o forró é um céu sem estrelas. É raro um nordestino não saber dançar o forró.

O Nordeste no mês de junho é só forró.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

NOTAS MUSICAIS

O MENINO, A FLAUTA E O GATO
Sonhei um dia em ser músico. Até que passei uns dias com o professor seu Raimundo Macedo. Desisti, não fui  um bom aluno.

Hoje, o aluno qualquer faz faculdade, tem faculdade em qualquer recanto, parece os cabarés de antigamente, toda cidade do interior tinha o seu. A minha cidade natal - Simão Dias - possuía  dois do arromba, BICO-DA-ASA E MARÉ MANSA.

Outro dia, estive numa faculdade de  muita propaganda. A biblioteca um deus-nos-acuda. Estudei na UFS,  boa biblioteca. A UNIT do professor Uchoa também merece aplausos. Mas deixa para lá, o ensino brasileiro está em vermelho - SUS. O político, em tempo de eleição, fala logo: " Em saúde e educação." Depois vai o dito para o brejo do esquecimento.

O bom aluno já vem da genética. Aquele menino da choupana, casa de barro, um candeeiro aceso, passou em Medicina.

E para encerrar esta conversa, o péssimo aluno lembrou das notas musicais, senão vejamos:


NOTAS MUSICAIS:

ESTÁ SÓ.
NÃO PRECISA DE DÓ E NEM DE RÉ!
QUER UMA MULHER AO SOL,
PODE SER FÁ OU MI,
QUE NÃO SEJA UMA QUALQUER,
PRA DANÇAR O ARRASTA-PÉ
DE UM FORRÓ.
NESTA VIDA, TRISTE É FICAR SÓ.

                   Dedico o poemeto a Toinho de Lima, músico na Alemanha, conterrâneo de Simão Dias.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

DÉDA E A BANDEIRA BRANCA




A presidente Dilma Rousseff, deputada estadual Ana Lúcia e o governador Marcelo Déda




O PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) surgiu em l980 do amor do professor e do aluno. Da rebeldia dos estudantes da Universidade Federal de Sergipe, que comandava o Diretório Central dos Estudantes - DCE, entre os presidentes o goverrnador de Sergipe -  Marcelo Déda e seu subsecretário Chico Buxinho. O grupo Atuação de Marcelo Déda por muito tempo comandou o DCE, depois o Viração do prefeito de Aracaju -  Edvaldo Nogueira -  ganhou a eleição. Não se pode esquecer dos estudantes Marçal, Boneca, Geovane, Filena, Goisinho.

Tempo bom, do Clube da Sexta, festa organizada pelo DCE,   rua da Frente, por lá aparecia Lula, um operário, que depois se tornou Presidente do Brasil.
O PT chegou ao poder através do voto livre e democrático do povo.
Marcelo Déda Chagas, filho de seu Manoel, um funcionário público, por duas vezes governador de Sergipe.
Chegou ao governo na luta renhida.

E para não olvidar do professor, os professores continuam em greve. A professora e deputada Ana Lúcia, irmã do saudoso poeta Mário Jorge, uma guerreira do PT,  que protesta. E que entre o PT e o professor, prefere o segundo.

Governador e a professora Ana Lúcia ambos são de luta. São dignos e de honra.

Lamentavelmente, a professora Ana Lúcia não usou de eufemismo, comparando o governador Déda ao ditador da Alemanha - Hitler. Déda está ferido, magoado. Um democrática ser comparado a um ditador é o paradoxo.

O clima entre Déda e a professora está para lá do Oriente-Médio , israelense e palestino, intolerável.
A  música cantada pela saudosa Dalva de Oliveira, Bandeira Branca, "Eu peço Paz..." é quase impossível.
O ex-deputado estadual Gilmar Carvalho por  menos foi expulso do PT.
Expulsar a deputada estadual Ana Lúcia por ferir a cartilha do PT,  não é uma solução plausível. O governador na Assembléia Legislatva tem maioria simples, caso a expulsão aconteça , há uma complicação no lado governamental.

A oposição está rindo à toa, na dúvida, pergunte aos deputados Augusto Bezerra e Venâncio Fonseca? 

quarta-feira, 30 de maio de 2012

FILHO DA PUTA

No tempo da repressão sexual, a cidade de Simão Dias possuía vários cabarés. Em destaque, o BICO-DA-ASA E A MARÉ MANSA.
Pobre da mocinha que se entregasse a seu namorado, era logo considerada puta. Perdia as amigas e sofria a discriminação das mães e das tias:

"NÃO ANDE COM FULANA, POIS É UMA PUTA, IGUAL AS  DO CABARÉ."
Tinha que se manter virgem. Até o Código Civil previa:
SE O HOMEM DESCOBRISSE QUE SUA MULHER CASOU SEM SER VIRGEM, ERA MOTIVO DE ANULAÇÃO DO CASAMENTO. Ainda bem, que o absurdo foi retirado das nossas Leis.
No

E os filhos das putas, pobres coitados, estudei com muitos no GRUPO ESCOLAR JOÃO CARVALHO E TAMBÉM NO GRUPO ESCOLAR FAUSTO CARDOSO. Todo menino briga e não hora da discussão:

"VOCÊ É UM FILHO DA PUTA."

O menino ouvia e nada podia dizer.

Vivemos nossos tempos, as meninas virgens têm vergonha de anunciar a Virgindade. Na escola, gritar para uma menina de 14 anos que ela é uma boca virgem, é uma afronta.

Os filhos das putas já são pais e avôs.

As pobres putas já são avós e bisavós.

O cabaré já não é uma necessidade. A liberdade sexual assassinou a repressão.

Agora o amor já não é duradouro, tudo é ficar, ficar...

terça-feira, 29 de maio de 2012

O VENDEDOR DE MEL

A historia foi contada pelo próprio Mundinho. Ele era vendedor de mel de abelha. Meu pai possuía uma bodega de mais de 60 anos. Só a deixou depois de sua morte.

A feira de Simão Dias ficava na av. Coronel Loiola e se estendia pela rua Pedro Valadares, coronel Felisberto Prata, a bodega de meu pai ficava na  coronel Felisberto Prata, três casas depois do Banco do Nordeste, o mesmo banco que derrubou um prédio antigo que fora a prefeitura de Simão Dias e também foi residência do coronel Felisberto Prata.

Mundinho vendeu um litro de mel a meu pai, dizendo que era de abelha Uruçu.
O velho Pedro Mendes sempre fora um homem desconfiado, não confiando no sujeito passou o mel do litro escuro para o claro.

No dia de sábado, dia da feira, lá na bodega estava Mundinho, tomando café com pão, manteiga não.

O velho Pedro Mendes:

- Mundinho comprei este litro de mel, o rapaz disse que era de Uruçu, você que é vendedor de mel, repare se é verdadeiro!?

Mundinho verificou o mel da garrafa e disse:

- Seu Pedro, o rapaz lhe roubou, o mel é falso.

Meu pai era um homem autêntico, para dizer a verdade não esperava nem a chuva e nem o sol, respondeu:

- O ladrão é você, Mundinho. Eu troquei de garrafa.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

CABARÉ DO MUNDO

Apesar de ficar no centro da cidade, as moças eram proíbidas por seus pais de passar na rua do Mulungu - rua Antônio Manoel de Carvalho. O cabaré Bico-da-Asa foi uma necessidade da época, havia o tabu sexual, pobre moça que se entregasse a seu namorado, vinha logo o grito:

" É uma perdida."

Os pais davam logo a recomendação:

" Não ande com fulana, porque ele deu e é igual as putas do Bico-da-Asa.

O promotor público era Dr. Fernando Matos e o juiz Dr. Lauro Pacheco, ambos depois se tornaram secretários de Segurança Pública do Estado de Sergipe.

O promotor denunciava e o juiz acolhia.
O lema era: " Ou casa ou vai pra cadeia." Teve cabra que na madrugada fugiu, mas não deu gosto, não casou. Lá em terras distantes sofreu de saudade dos tempos da cidade de Simão Dias-SE.

Um teve a coragem de atirar no juiz, por sorte, os tiros não o atingiram.

A vida na cidade interior mudou. Outro dia, João disse para sua filha:

- Mariana, você leva na bolsa a camisinha.
Mariana tem apenas 14 anos.
O  cabaré do Bico-da-Asa já não existe mais. As pobres putas, daquela época, são avós e bisavós.

Uma delas comentou:

" O mundo inteiro é um cabaré, hoje a gente morreria de fome."

terça-feira, 22 de maio de 2012

SITE DE RELACIONAMENTO

Francisquinho casou com Cristiane. Ele gostava mais dela do que ela dele. O casamento não durou nem dois anos.

Por mais que Francisquinho relutasse,  Cristiane não dava valia ao reclamar de seu marido. Cristiane mantinha, via internet, relacionamento com seus ex-namorados.

Certa noite, Francisquinho não tolerou mais e sob gritos: 

- Não admito e nem nunca admiti que você casada comigo, fique de relacionamento com seus ex-namorados.

Cristiane:

- Agora, porque estou casada com você, vou destruir minhas amizades da vida e do facebook? Você não é meu dono!

Francisquinho, logo de madrugada, quando sua esposa dormia, arrumou os panos de bunda e pé na  estrada,.  Por sorte, o casal não tinha filho.

Hoje, Cristiane lamenta por ter perdido seu esposo. E Francisquinho vive com uma professora do Estado.

Com Dulcinéia, só o lamento:

- Francisquinho, chegue mais cedo. Este discutir futebol com os amigos, me irrita!

Francisco sempre dá o silêncio como resposta.

sábado, 19 de maio de 2012

PRISÃO DO ADVOGADO

O doutor Cláudio Miguel é um dos melhores advogados do Estado de Sergipe.

Além de advogado, é professor, poeta e músico. Nesta semana, no posto do ex-deputado Federal -Pedrinho Valadares na  av. . Nova Saneamento - quando discutia com um policial militar, o conceito advogado foi preso. Ele é o presidente da Comissão dos Direitos Humanos da OAB-SE.

Doutor Cláudio Miguel disse: " Que sua prisão foi arbitrária e vai processar o Estado de Sergipe."
Tudo começou, quando um jovem, em alta velocidade, derrubou uma bomba do posto de Pedrinho Valadares. Ele,  pelo polícial militar, foi acusado de ofertar fuga ao causador do dano.

O cidadão comum indaga: "Se prenderam o presidente da Comissão de Direitos Humanos, imagine a gente?

quarta-feira, 16 de maio de 2012

A MESMA MOEDA

Menino faz coisa que a gente cresce, dá arrependimento, dá  saudade, pagando com a mesma moeda. Meu pai tinha uma malhada, pequeno sítio, nos arredores da cidade de Simão Dias. O rio caiçá passava por dentro do terreno.

Nas margens do rio, existiam  cajueiros, coqueiros, modas de cana-de-açúcar, fruta do conde, bananeiras, abacateiros,  mangueiras, goiabeiras, tendo tudo isso, o menino ainda, saltava os muros dos quintais, as cercas de outros sítios, para cometer pequenos delitos, furtar frutas e frutos.  Se meu pai soubesse,  o relho cru sambava no lombo e o grito ecoava para acordar outros meninos.
O segredo mantive diante de meu pai. Morreu sem saber das pequenas peripécias. Do outro mundo, provavelmente está dizendo:

- Cabra safado, sem vergonha.

Comprei um sítio com fruteiras e os meninos dominavam e quase não deixavam  um fruto, sequer, para o seu dono. Nunca dei carreira em menino.

Outro dia, um sujeito matou uma criança, lá na cidade de Nossa Senhora do Socorro, quando o menino tirava uma manga. O menino estava com fome e a bolsa família estava em atraso.

Pobre menino! O matador continua arrotando poder.

Lembrando do velho Antônio Borges:

"FIO DO CABRUNCO."

Na vida, a gente paga com a mesma moeda, paguei e lembrei do tempo de criança, que pena! Não volta mais...


sexta-feira, 11 de maio de 2012

FLU E O MENINO






Aos 10 anos, eu já me era um torcedor de carteirinha do FLUMINENSE do Rio de Janeiro. Tinha meu próprio dinheiro, vendia geladinho na feira de Simão Dias-SE. Higiene nem me fale, coisa de menino, vai de qualquer jeito, sem maldade. Do produto de meu pequeno trabalho, comprava revistas, as preferidas  eram  Placar e TEX. Tinha crédito na bodega de dona Júlia Galo e, em frente ao grupo Escolar Fausto Cardoso, merendava  em dona Fina de seu Egídio do Feijão. O bolo de milho era o que eu mais gostava, com k-suco de morango.
Tornei torcedor sem nenhuma influência de pai, avó, irmão, tio, amigo. Meu pai não era torcedor de nenhum time, salvo a seleção brasileira.

Aos dois de idade, deu a meu filho Marcos Vítor, hoje aos 10, uma camisa do FLU, mas nunca disse:

- VOCÊ DEVE TORCER PELO FLU.

Meu filho, igual a mim, naquele tempo, escala o time, reclama, lamenta, protesta.

A gente torcia por intermédio dos locutores Valdir Amaral, Jorge Cúri da Rádio Globo. Televisão na cidade do interior era uma raridade. Quando pegava alguma coisa era o chove-chove. À tarde, a resenha esportiva da rádio Globo no bar do finado Zé de Chiquinho.

Bons tempos agora, televisão, internet.

Melhor ainda, FLUMINENSE venceu no dia de ontem o Internacional de Porto Alegre - 2x1. Já está nas quartas da TAÇA LIBERTADORES. 

Coisa do destino, vi o primeiro jogo do FLUMINENSE em Aracaju, o Flu perdeu para o Confiança,  0 FLU X I CONFIANÇA.  E meu filho assistiu o Bahia vencer o FLU por 3 x 0.

Uma coisa que a gente traz na alma e no peito, somos tricolores de coração.

Um dia achei absurdo, quando o falecido Fernando de Messias de Cassimiro  dizia:
- Entre o FLAMENGO E A MULHER, preferia o FLA.

Hoje, já compreendo.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

PUTA NOVA NO CABARÉ

Para alegria da criançada  e dos adultos também, o circo chegou. E lá estavam os meninos, todos atrás do palhaço pelas ruas da cidade. E ele  gritava:

- E o palhaço que é?

E os meninos:

- Ladrão de muié

- E o palhaço que foi?

- Ladrão de boi

O prêmio,  para acompanhar o palhaço,  era um igresso no circo, cujo valor 0800.

O circo foi embora e deixou na cidade a mulher do palhaço. Não se sabe o porquê, Xebinha foi abandonada.

Xebinha era a melhor rombeira do circo. Quando se apresentava, o público pedia mais e mais. E ela voltava dançando com suas belas e grossas pernas e a bunda?  Bunda daquela é coisa rara.

Xebinha ficou na cidade de Simão Dias sem eira e nem beira. Quem lhe ofereceu abrigo? Logo quem! Bisqui, a puta mais famosa do cabaré Bico da Asa.

Quinze dias de choro e lamento por ser abandonada. E a fila de homens não parava. todos desejando ser o primeiro.
Certa manhã, Bisqui não aguentou mais:

- Xebinha, aqui você bem sabe não é um convento, é puteiro mesmo.
A coisa para mim não está boa. A gente tem que se valer do que tem. Os homens não estão me procurando. Já não tenho mais dinheiro para fazer a feira. Você é mais nova do que eu. É preciso aproveitar a oportunidade. 

Xebinha chorou, chorou. E foi convencida que era preciso deitar com os homens. O primeiro só podia ser ele, o Zé, Sujeito de fala mansa, que trabalhava no matadouro dos bois. Ninguém vencia o Zé no cortar a carne do boi. Zé sabia agradar as putas velhas e novas do cabaré. Menina, quando ficava mocinha, o primeiro era Zé.  Precisou de uma roupinha, um sapato, Zé salvava todas. Poderia ficar sem um tostão furado, para amparar uma pobre puta.

Depois de Zé, a fila andou. Houve dia de sábado, feira da cidade, que Xebinha chegou a transar com 15 homens. Gozo mesmo só com o palhaço do circo. Porém, igual a milhões de mulheres, fingia que estava gozando.

Numa madrugada qualquer, Xebinha foi embora com um caminhoneiro. Deixando uma triste lembrança nos raparigueiros, a infeliz  da doença gonorréia.

Naquele tempo, não existia AIDS, a doença era o pus escorrendo pelo pênis.

Onde se encontra Xebinha?

Bisqui, depois de velha, é dona de um puteiro.

Onde? É querer saber demais.

terça-feira, 8 de maio de 2012

A GENTE QUE FAZ A HISTORIA

Simão Dias foi uma cidade escravocrata. Vários foram os engenhos Mercador, Tavares, Burril, Olhos D'Água, Baixão. O negro sofreu, o negro apanhou. O homem nasceu para a liberdade. As cotas nas universidades são de bom grado.
O rei do Cangaço - Lampião - esteve em Simão Dias, visitando à casa do coronel João Pinto, que fora intendente municipal - prefeito - de 1935 a 4l. Diga de passagem que quando o Capitão Virgulino Ferreira da Silva chegava à cidade do Pinhão, o coito era a fazenda Santa Rita do coronel João Pinto. A fazenda fica nos arredores da cidade.

Simão Dias possui vários artistas plásticos, entre os imortais:  Raimundo Siqueira e Raimundinho de Baiano.

A lepra, 1946, matou muitos simãodienses, e, por mais de 30 anos, uma poetisa ficou no leprosário em Aracaju. A poetisa era dona Bebé, que foi namorada do ex-prefeito de Simão Dias Cândido Dortas, seu Candinho, este chegou  a ser Deputado Estadual.

O teatro em Simão Dias atingiu o auge por intermédio de Carmem Dantas. Existiu na cidade uma cinema , cujo nome era CINE TEATRO YPIRANGA. Várias peças teatrais foram apresentadas no Ypiranga.  Havia outro cinema de seu Antônio Borges, o cine Brasil. O proprietário  gostava de chamar os meninos, quando gritavam no cinema, de "FIOS DO CABRUNCO."

Existem figuras inesquecíveis, figuras populares : ZÉ MANGAIA, PEDRO CHAVES, ambos animavam o carnaval e o São João. E Pneu, lá da rua do Alambique, que saía no carnaval vestido de mulher com as pobres putas do cabaré BICO DA ASA, e cantava:

"Mamãe, mamãe, ói a moféia, eu vi o véio agarrado com a véia."

E os poetas Ézio Déda, professor Udilson Soares que lançaram bons livros de poesia.

Os times de Futebol Anápolis, Cruzeiro , Bomfim e os Alcatras da rua de São João.

As Igrejas de Simão Dias: Católica e as Evangélicas. Sem olvidar os centros espiritas e candomblé. Liberdade de culto é previsto na Constituição.

E a tragédia do rio Caiçá, onde o rio, na enxurrada, levou casas, morreu dona Belita, tia do senador Valadares. Muitas e muitas famílias ficaram desabrigadas.

As fábricas de Simão Dias, Dakota e de cimento , depois do Estado e do Munícípio, são elas que ofertam mais empregos.

Cadê a história de nossos músicos Netinho, Toinho de Lima que reside na Alemanha?

Cadê a história do menino que mora numa choupana lá no Sítio do Alto e passou no vestibular em medicina?



É preciso que o Memorial de Simão Dias, lá na praça do Cemitério São João Batista, não só conte as vidas dos governadores coronel Pedro Freire de Carvalho, Celso de Carvalho, Valadares, Déda, mas também a gente  simples que faz parte da história e é MEMORIAL.

Quase que eu ia esquecendo dos cabarés do Bico da Asa, Maré Mansa, Ilha das Cobras. E a nossa mais notável puta, a pequena e inesquecível BISQUI. Uma paixão de um ex-deputado Federal.

O prefeito Dênisson Déda e a diretora do Memorial de Simão Dias - Edjane, são pessoas bem intencionadas, acreditamos que analisarão com carinho esta nossa sugestão. O memorial já vem de outras administrações.

domingo, 6 de maio de 2012

quarta-feira, 2 de maio de 2012

AVIÕES DO FORRÓ E O CANSAÇO


Xandinho e Solange






Ontem, dia do trabalhor,primeiro de maio, a cidade baiana de Paripiranga-BA, fronteira com a urbe de Simão Dias -SE , completou 126 anos. Por lá passou a banda AVIÕES DO FORRÓ. quando AVIÕES vai tocar, há uma quantidade enorme de nordestinos que viaja quilômetros e quilômetros para ver as belas e desejadas dançarinas e os cantores Solange e Xandinho. A novela Global Avenida Brasil, um dos personagens Suellen, bonita, porém meio bandida, no jogo da sedução desta mulher sem-vergonha, usa a canção Correndo Atrás de Mim de Aviões do Forró. Forrozeiro, nordestino que adora forró, tem a Banda como ícone. Na festa de Paripiranga, AVIÕES DO Forró não estavam em um dos seus melhores dias. Xandinho e Solange aparentavam cansaço e as dançarinas não possuíam o mesmo brilho de outros tempos. Tomara! que no próximo show, a banda Aviões do Forró não venha a decepcionar um fã de carteirinha. No futebol, é comum a crise futebolista, mas nas bandas da Alegria é coisa rara. Acreditamos que o cansaço dominava Aviões do Forró, porque qualidade e bom gosto são inerentes a banda.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

LEONARDO, SEU FILHO VAI VIVER

Pedro, filho do cantor goiano Leonardo, provavelmente vai deixar o hospital Sírio-Libanês, para festejar a vida, cantar para alegrar as almas tristes. Vítima de um acidente de carro entre o Estado de Minas Gerais e GOIÁS, terra natal de pai e filho. Não é preciso ser pai, para saber a agonia que Leonardo está passando, assistindo seu filho num leito de hospital. Leonardo, não resta dúvida, é capaz de dar tudo para salvar o seu filho. O garoto vai ser salvo, com a graça divina. Leonardo é um sujeito de boa índole, sempre está ajudando as novas duplas sertanejas. Tem platado a boa semente do bem. O acidente foi no mesmo dia, que aconteceu o anunciar do câncer de Leandro, irmão do cantor Leonardo e tio de Pedro, dia da má notícia, 2O de abril. Leandro se mandou para o outro lado da vida. E Luciano continua a cantar. Escrevemos um poema MEU FILHO E O ANJO dedico ao cantor Leonardo MEU FILHO, UM TRISTE PENSAMENTO VEIO EM MIM... PENSEI QUE ERA A HORA DE PARTIR... VI A VIDA VALE NADA, TUDO RUIM! PERDI A VONTADE DE VIVER! CHOREI E GRITEI: MEU DEUS, QUE É DE MIM? E A NOITE VEIO UM ANJO DO SENHOR, DISSE A MIM EM SONHO: "SORRIA, DEUS OUVIU SUAS PRECES! SEU FILHO VAI VOLTAR A CANTAR, CANTANDO A LIBERDADE, CANTANDO O SONHO CANTANDO A VIDA, A ALEGRIA VIVER, VIVER, VIVER SEU FILHO VAI SOBREVIVER." E VAMOS LÁ, LÁ, LÁ LÁLÁLÁ... NUNCA DEIXE DE SONHAR! VIVER, VIVER, VIVER, DEUS AMA VOCÊ. Este poema é do autor do blog, fora feito ontem.

domingo, 29 de abril de 2012

PÉ DO VEADO

Viriato no Rio de Janeiro. Ele nascido no Pé-do-Veado, povoado da grande Itabaiana do minúsculo Estado de Sergipe. Viriato lá estava para vender castanhas. Deixou em Sergipe, a mulher e seu filho Mateus. De janeiro a março no Rio de Janeiro. Aproveitar o turismo. Nos primeiros dias, se pudesse pegava o caminhão que o levou e voltaria. Saudade da feira de Itabaiana nos sábados. Ali que era lugar, Zé conhece Mané, que conhece Francisco, que conhece Malaquias, finalmmente que conhece Viriato. Parece coisa do poeta Carlos Drummond. No carnaval na cidade Maravilhosa, homem beijando homem, mulher beijando mulher. Pensava Viriato: "Meu Deus, é o fim do mundo." É por isso, que o padre Miro disse lá na Igreja Santo Antônio: - Quem não tarda o fim do mundo. O mundo vai se acabar. Viriato não admitia essa coisa moderna do amor livre. Sempre pensou: "Homem para mulher, mulher para o homem. O contrário é sem vergonhice, safadeza, falta de respeito." Viriato não estava preparado para os tempos hodiernos. Quando retornou do Rio de Janeiro, teve uma grande decepção, não esperava que poderia acontecer em família, sua cunhada deixou o marido para conviver com outra mulher. Um conto.

sábado, 28 de abril de 2012

GUARDIOLA, TÉCNICO DA SELEÇÃO BRASILEIRA

O maior presente que a Confederação Brasileira de Futebol - CBF - daria aos brasileiros, seria a contratação do técnico Guardiola para treinar a Seleção do Brasil. Esta historia que técnico da seleção deve ser brasileiro, é burrice, afinal o futebol é globalizado. Mano Menezes ainda não disse, porque está treinando a seleção canarinha. Guardiola, ao sair do Barcelona, o melhor time do mundo, poderia ser contrato pela CBF. O Brasil deve entrar na grande fila dos pretendentes do mais capaz técnico do universo. Grande bobeira, é perder esta oportunidade. Guardiola é um grande mestre e doutor no futebol, para isso não é preciso levantar tese numa Universidade, pois ele já traz os títulos em seu próprio ser e também na prática do dia a dia.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

STF E A ESCRAVIDÃO.

A PRESIDENTE DO BRASIL - DILMA ROUSSEFF - E O MINISTRO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - CARLOS AYRES BRITTO. A negra Totonha, que amamentou o escritor e crítico literário Sílvio Romero, veio da escravidão de Simão Dias. Lagarto e Simão Dias foram cidades escravocratas. A capela de Nossa Senhora Santana, em Simão Dias, foi construída com o suor, o trabalho do negro. A Igreja Católica, lamentavelmente, nas terras brasileiras, também era escravocrata. Padres, Bispos possuíam seus escravos. O imortal Sílvio Romero nasceu na cidade de Lagarto. Simão Dias possuía vários engenhos: Mercador, Burril, Baixão, Tavares, Olhos D'água, Santo Antônio e outros. Os remanescentes da escravidão da terra dos Capa-bodes estão no povoado Caraíbas e no Sítio do Alto. Ontem, ao analisarem uma AÇÃO DO PARTIDO DEMOCRÁTICO (DEM), os ministros do Supremo Tribunal Federal- STF, decidiram por unanimidade em manter a reserva de 20 % (Vinte por cento) do total das vagas oferecidas pela Instituição a candidatos negros (entre eles pretos e pardos). Pelo que se vislumbra as Universidades Públicas devem deixar disponível as vagas em favor dos negros. A reserva é Constitucional. Do presidente do STF - Carlos Ayres de Britto, que é sergipano de Propriá, ele disse: " O preconceito é histórico. Quem não sofre preconceito de cor, já leva uma enorme vantagem, significa desfrutar de uma situação favorecida negada a outros." A LEI ÁUREA, em 1888, determinou o fim da escravidão. Liberdade ao negro. Todavia, não lhe ofereceu as condições financeiras para viver. Assim, o negro foi para as ruas das grandes cidades, pedi esmola, outros ficaram nos engenhos, tendo outro nome de agregados, que não deixaram de ser escravos.

FIO DO CABRUNCO

Na esquina da rua do Coité - rua Celso de Carvalho com Joviniano de Carvalho, calçadão, ficava o pipoqueiro seu João de Salu, o dono do cinema Brasil era seu Antônio Borges. Quando alguém, que não assistiu o filme, perguntava ao proprietário, se o filme era bom, vinha, de imediato, a resposta: ESTE É DO ARROMBA. O filme poderia não vale um real furado, mas a propaganda estava feita. O dono do cinema, aos domingos na matinê, o filme começava às 4 horas da tarde, passava uma agonia, a adrenalina de seu Antônio Borges aumentava e dos meninos mais ainda, quando as janelas do cinema, que faziam lateral para a rua Joviniano de Carvalho, estavam sendo fechadas, a gritaria era geral. Coitado de seu Antônio, com uma lanterna na mão, falava: - Quem foi o FIO DO CABRUNCO QUE GRITOU? E a gritaria continuava. O velho Antônio, de vez em quando, expulsava um menino. Muitas e muitas vezes o inocente, pagava pelo pecador. Quando o filme iniciava vinha o silêncio dos meninos. Depois da morte de seu Antônio, o cinema fechou. Hoje, está de portas abertas para uma Igreja. Em Simão Dias, em cada canto uma Igreja. E OS FIOS DO CABRUNCO de seu Antônio, cresceram todos. Entre eles, um para contar a história.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

VOVÔ DO CAROÇO

Simão Dias em l970, havia uma senhora de nome Guilhermina que morava na rua do Cumbe, hoje, Sinézio Jacó, considerada como doida. Os meninos, daquele tempo, o secretário de Educação do Estado - Belivaldo Chagas - e o governador de Sergipe, Marcelo Déda, são da época, quando os calças curtas mexiam com a louca, chamando-a de VOVÔ DO CAROÇO. A resposta vinha de imediato : - VOVÔ DO CAROÇO É SUA MÃE E O CAROÇO ESTÁ DEBAIXO DE SUA SAIA. Dona Guilhermina vivia só. Era uma boa senhora. Quando ela morreu, muitos meninos foram ao seu funeral.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

DÉDA SENADOR

1970,  o prefeito de Simão era o o atual senador da República Antônio Carlos Valadares, vice o comerciante Dermeval Guerra. Os militares governava o Brasil. O Fluminense torná -se  Campeão da Taça de Prata, Campeão do Brasil. Enquanto isso, a nossa seleção brasileira, tendo como técnico o alagoano Zagalo, ao vencer a Itália por 4 x 1 ,  foi  Tricampeão do mundo.

Naquele tempo, havia um menino ruim de bola, jogador de time de botão, torcedor do Flamengo, estudante do Grupo Escolar Fausto Cardoso na praça Barão de Santa Rosa, de calça curta, 10 anos de idade,  registrado com o nome de Marcelo Déda Chagas, ele nascido em 11 de março de 1960. Talvez, nem sonhava em ser governador. Quem sabe em seu sonho, jogador do Flamengo, afinal, o rubro-negro teve, como todo time possui , seus jogadores pernas de pau. O sujeito, como já dizia o saudoso comerciante Oviêdo Teixeira, que fora Deputado Estadual e candidato a senador da República, pelo MDB - Movimento Democrático Brasileiro, agora é governador de Sergipe.

A presidente da República Dilma,  em seu discurso em terra sergipana, disse que o capa-bode Marcelo Déda é o maior Orador da República. Em sendo de oratória, o caminho é o parlamento, quem viver, pode  assistir  Déda senador.

Como ex-jogador de time de botão, é impossível, DÉDA pendurar as chuteiras.

terça-feira, 24 de abril de 2012

VALADARES, PREFEITO DE ARACAJU

.
SENADOR VALADARES



O filho do senador Valadares, Valadares Filho, é pré-candidato a prefeito de Aracaju
Um bom nome, filho de peixe, peixinho é. Deputado Federal bem atuante. Bem pode governar a Capital de todos os Sergipanos. Valadares Filho é o pré-candidato do PSB. Já o deputado Federal Rogério Carvalho já se lançou candidato pelo PT. Atualmente, o líder das pesquisas de Aracaju, é o ex-governador de Sergipe, Dr. João Alves Filho. Os Amorim do PSC lançará também seu candidato a prefeitura de Aracaju, podendo ser o Deputado Federal André Moura. O ex-prefeito de Aracaju, José Almeida Lima, Deputado Federal, é candidato a prefeito.

Bons nomes foram lançados para administrar a Capital da Qualidade de Vida, salvo na Terra Dura com lama, esgotos a céu aberto, lixo e muriçoca. Mas se acredita que lá a coisa vai melhorar, afinal, é a maior área de expansão de Aracaju.

O melhor nome dos aliados do governador Marcelo Déda, é, sem sombra de dúvida, o senador Antônio Carlos Valadares do PSB.

O senador Valadares além de agregar , é homem de conciliação. E, caso vença, é bom para o PT, pois José Eduardo Dutra, ex-senador da República, é seu suplente.

Há muita água debaixo da ponte.



E que a ponte não seja do nosso rio Caiçá de Simão Dias, o coitado está sujo, contaminado, carecendo de revitalização.

VALADARES, PREFEITO DE ARACAJU

O filho do senador Valadares, Valadares Filho, é pré-candidato a prefeito de Aracaju.
Um bom nome, filho de peixe, peixinho é. Deputado Federal bem atuante. Bem pode governar a Capital de todos os Sergipanos. Valadares Filho  é o pré-candidato do PSB. Já o deputado Federal Rogério Carvalho já se lançou candidato pelo PT.  Atualmente, o líder das pesquisas de Aracaju, é o ex-governador de Sergipe, Dr. João Alves Filho. Os Amorim do PSC lançará também seu candidato a prefeitura de Aracaju, podendo ser o Deputado Federal André Moura. O ex-prefeito de Aracaju, José Almeida Lima, Deputado Federal, é candidato a prefeito.
Bons nomes foram lançados para administrar a Capital da Qualidade de Vida, salvo na Terra Dura com lama, esgotos a céu aberto, lixo e muriçoca. Mas se acredita que lá a coisa vai melhorar, afinal, é a maior área de expansão de Aracaju.
O melhor nome dos aliados do governador Marcelo Déda, é, sem sombra de dúvida, o senador Antônio Carlos Valadares do PSB.
O senador Valadares além de agregar , é homem de conciliação.  E, caso vença, é bom para o PT, pois José Eduardo Dutra, ex-senador da República, é seu suplente.
Há muita água debaixo da ponte.

E que a ponte  não seja do nosso rio Caiçá de Simão Dias, o coitado está sujo, contaminado, carecendo de revitalização.