Visitante nº

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

CORNO DE MULHER

E agora, José! Casou com Maria da Assunção. Bem que Chico lhe avisou:
- Cuidado! Mulher com cara de santa, esconde o perfil da puta.
Todos os domingos Maria da Assunção estava presente na Igreja Nossa Senhora do Amparo.
Amizade demais é coisa que não dá certo...
Dona Judite, sua mãe, José, lhe alertava:
- Homem de Deus, sua mulher tem uma amizade exagerada com a cabeleireira Dulcinha.
- Mãe, é coisa de mulher. Uma mulher tem que ter outra pra desabafar.
Maria da Assunção casou-se virgem. Seu primeiro homem foi José. Primeiro e último.
Desde criança Maria nunca teve simpatia por meninos. Achavam violentos e indelicados. Admirava e gostava de brincar com as amiguinhas. Nada de boneca, mas no faz-de-conta de marido e mulher.
Maria de Assunção fora uma menina reservada.

Em verdade, o casamento foi realizado a contragosto de Maria Assunção, o pai queria, porque queria que sua única filha casasse com o filho do fazendeiro Sérgio Alencar.
No dia do casamento, Seu Severino, pai de Maria; dona Odete, mãe da noiva , estavam bem felizes, Maria estava de alma triste , mas estampava no semblante alegria.
O primeiro dia íntimo de Maria foi um estupro. Ela não queria no dia do casamento fazer amor, transar na linguagem masculina.
Dois anos de casada, sufoco e agonia.
O que Maria não podia imaginar que naquela tarde de domingo, José retornava às quatro horas da fazenda. Costume era sempre às 18 horas.

Que dor! Que aflição, José, assistir sua amada entre beijos e abraços com outra mulher. Dói muito. Na agonia, nem observou o corpo bonito da cabeleireira. O desejo era matar as duas. Foi para a reflexão, não valia a pena. Matava ia para penitenciária, perdia muitos anos na cadeia.
José e Maria divorciaram. José manteve o segredo, jamais ia dizer que perdeu sua mulher pra outra mulher. Tinha medo de contar o que ocorrera. Afinal, poderia ouvir de Zequinha:
- Corno de homem ainda vai, mas chifrado por uma mulher é de se matar.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

LAMPIÃO DA BONITA MARIA DO CAPITÃO





No centenário da cangaceira MARIA BONITA - 1911 - 2011 - sua neta Vera Ferreira e a professora universitária - Germana Gonçalves de Araújo, lá da terra de João Pessoa, Ariano Suassana, José Américo, terra melhor dizendo, chamada Paraíba, lugar de mulheres bonitas e encantadoras. O cabra tem que ser macho para conquistar uma paraibana, as duas mulheres publicaram o livro BONITA MARIA DO CAPITÃO. A baiana Maria Bonita , ó baixinha, das pernas bonitas.






Hoje, dia, 13 de dezembro, às 18 horas , lá no Museu Nossa Gente do BANESE (Na inauguração a gente simples não pode entrar) , situado na rua da frente, em Aracaju-SE , haverá o lançamento do livro BONITA MARIA BONITA.






O livro foi editado pela EDNEB - Editora da Universidade da Bahia. Prefácio da poeta Maria Lúicia Dal Farra.






Fotos dos cangaceiros foram tiradas pelo libanês Benjamim Abrão, que fora assassinado em 1937, um ano antes da morte de Maria Bonita e Lampião - 1938.






O papel do livro é envelhecido, sabedoria e inteligência , quando se trata de relatos do passado.






Apesar do bom gosto de Frederico Pernambucano, nenhum livro do cangaço suplanta o de VERA FERREIRA, uma sergipana ousada e destemida, neta de Lampião, e GERMANA GONÇALVES DE ARAÚJO, paraibana cabra da peste e mestra , cultura e interatividade (UfPB)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

LAMPIÃO E O SUCESSO

São vários livros sobre o cangaço que eu já li. Do paulista Amauri, do pernambucano Frederico, do baiano Juarez Conrado, do sergipano Alcindo Costa, do americano Billy Jaynes Clandler e do sociólogo Rui Facó, há outros livros que para não alongar o texto, peço desculpas aos autores em não citá-los.





Dos livros lidos, vale destacá-los o CANGACEIROS E FANÁTICOS DE RUI FACÓ E LAMPIÃO, O REI DOS CANGACEIROS DE BILLY JAYNES CLANDLER. O sociólogo Rui Facó faz uma análise sociológica dos cangaceiros e de Lampião - Virgulino Ferreira da Silva.





O americano Billy Jaynes Clandler entrevistou cangaceiros e pessoas que viveram na época de Lampião. Analisando de forma imparcial o fenômeno cangaço.





Os dois autores são imparciais. No tocante, inúmeros escritores do cangaço são vistos com parcialidade.





Lampião fora assassinado em 1938 na grota do Angico, município de Poço Redondo, interior de Sergipe, pela volante das Alagoas, sob o comando do sargento João Bezerra, que depois tornou-se coronel.





Todos os livros de Lampião fazem sucesso.





Hoje, em Aracaju, às 18 horas, na livraria Escariz - Shopping Jardins, o juiz aposentado Dr. Pedro Moraes lançará o livro Lampião, O MATA SETE.





O Dr. Pedro Moraes foi por muito tempo juiz na cidade de Umbaúba-SE. Magistrado dotado de imparcialidade. No que se refere ao escritor, não podemos assim dizer, na entrevista da TV SERGIPE, já chama o rei do cangaço - Lampião - de canalha.





Uma coisa é bem certa: para uns Lampião é bandido; para outros herói. A unanimidade é burrice.





Zefinha, uma moça encalhada, se fosse livro de Lampião, arranjaria um casamento, pois os livros de Virgulino Ferreira da Silva não ficam encalhados na prateleira duma livraria.





LAMPIÃO SEMPRE SERÁ SUCESSO.

















sexta-feira, 18 de novembro de 2011

AS CACHORRAS DE ARACAJU






Vi uma discussão entre duas mulheres, uma senhora de 60 anos e outra de 35 anos.




A senhora de 60 anos reclamava da outra, pois o seu neto tinha pisado em merda de uma cachorra que estava sendo conduzida pela segunda mulher.




- É muita irresponsabilidade da senhora, meu neto pisou nas fezes de sua cachorra, a senhora devia andar com uma bolsa para limpar a sujeira de sua cachorra.




- Quem é a senhora para vim me dar regulagem, minha cachorra merece o espaço livre




- Merecer o espaço livre, não discordo, mas a senhora deve respeitar à saúde da criança e não incomodar com a sua cachorra




- A cachorra é minha, ando como bem quiser, afinal não existe Lei em Aracaju proibindo andar com uma cachorra e nem determinação de limpar a bosta do animal




- Minha senhora, é questão de sensibilidade e de civilização, a senhora pelo jeito, não possui. Se a senhora fosse civilizada, provavelmente limpava a merda de sua cachorra.




De repente, apareceu outra mulher com uma cachorra. E, no calor da discussão , a pequena cadela deixou sua lembrança no jardim. A senhora limpou o objeto deixado pela cachorra.




A senhora de 60 anos:




- Tá vendo, é questão de civilização, viu esta senhora limpando a merda de cachorra.




- A senhora é uma cachorra, me deixe em paz.




- Cachorra é você.




E as cachorras das duas mulheres começaram a brigar, foi preciso o jardineiro, pegar um pau e separar os dois animais. Enquanto isso, as mulheres se xingavam.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

ADEUS, MINISTÉRIO DO TRABALHO

Ministro do Trabalho e Emprego - Carlos Lupi



O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, está com seus dias contados no Ministério. Todos que foram acusados de corrupção no governo da Presidente do Brasil , Dilma Rousseff, caíram.
Com a presidente Dilma não basta ser honesto, é mister a demonstração. Na política da presidente Dilma, não vale a dúvida e nem o princípio jurídico : " ATÉ PROVA EM CONTRÁRIO, O SUJEITO É INOCENTE."
O ministro Carlos Lupi cairá. A solidariedade partidária do PDT em prol do ministro, para Dilma Roussef tem pouca valia.
O melhor mesmo, é Carlos Lupi de mansinho arrumar as malas e sair.
O ministro tem vida curta no ministério.
Quem viver, verá a queda do ministro.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A OAB E A GAROTA DE PROGRAMA

Ainda ontem estive conversando com Doralice, o nome é fictício, porém a pessoa existe. Doralice, 25 anos, terminou o Curso de Direito numa Universidade particular de Sergipe. Doralice veio do interior da Bahia, lá do sertão. Seu pai, um simples agricultor, sua mãe, do lar. Doralice tem 8 irmãos. O sonho de Doralice é ser Delegada de Polícia.

Ao chegar em Aracaju, conseguiu um emprego numa loja. Ganhava menos do que o salário mínimo. Ainda ajudava a sua tia nas despesas da casa.

Doralice é loira, bonita, fala macio. Cabelos longos, homens e mulheres ( sapatonas) desejam beijá-la , abraçá-la

Ao passar no vestibular em Direito, Doralice pensou:

" E agora, meu Deus, não posso pagar a faculdade."

E Doralice resolveu ser puta, ou melhor, nos tempos atuais Garota de Programa. Assim, tornou-se pela necessidade.

O primeiro programa foi um desastre. Não tinha aprendido a fingir que estava tendo prazer, como muitas mulheres casadas , como muitas garotas de programa. Cobrou pelo primeiro programa a metade do pagamento da faculdade. Matutou:

" Este mês não passo aperto."

Doralice tinha um amigo Feitosa, que trabalha ainda hoje num hotel de luxo em Aracaju. Feitosa , bicha de carteirinha, entretanto bem reservado. O nome de Doralice foi lançado para alguns hóspedes. Feitosa ganhava 10 por cento e a outra parte era de Doralice.

A bem da verdade, Doralice nunca transou com nenhum sergipano. Ele tinha medo, afinal, viu o que aconteceu com outra estudante de Direito que foi expulsa da Faculdade, porque fazia programa sem restrição, chegando a sair na internet.

Doralice já se formou em Direito, domingo dia 30 vai fazer a prova da OAB. Deixou de ser garota de programa, já trabalha em um escritório de Advocacia, não me pergunte qual, é querer saber demais.

Indaguei o que ela achava do exame da OAB-SE, disse :

Doutor, a prova deve existir, senão a coisa fica parecida como antigamente, em cada cidade do interior tinha um prostíbulo.

O STF , em decisão unânime, manteve o EXAME DA ORDEM DOS ADVOGADOS PARA O EXERCÍCIO DA PROFISSÃO. O julgamento foi no dia de ontem.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

ORLANDO SILVA CAI, CAI

Há um princípio no campo do Direito, até prova em contrário, o sujeito é inocente. O ministro do Esporte Orlando Silva, é acusado de corrupção. No governo da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, mesmo não provando a culpabilidade, o indivíduo não demora. Não basta ser honesto, é mister o parecer ser.
Não é necessário ser cartomante, vidente ou futurólogo, os dias do ministro Orlando Silva estão contados. Surpresa é o mesmo ficar no Ministério do Esporte. No futebol, quando o jogador não está jogando bem, o técnico, automaticamente , o substitui. Todos os ministros e assessores que foram acusados de corrupção no governo de Dilma, foram retirados. Igual a um jogador de futebol, Orlando Silva será substituído. Mesmo com a propaganda positiva do Partido Comunista do Brasil na televisão, dizendo que o PC do B nunca esteve, na História, envolvido em corrupção.
Orlando Silva ou inocente ou culpado deixará o Ministério, quem viver verá...




Vamos ouvir o cantor dos anos 35 a 42 , Orlando Silva, conhecido como o cantor das multidões, com suas músicas chorosas e tristes.


Na música Rosa de Orlando Silva : " Tu és, divina e graciosa, estátua majestosa do amor."



Será que com a exoneração do ministro Orlando Silva, ele há de enxergar a Presidente Dilma Rousseff com divina e graciosa?

domingo, 18 de setembro de 2011

NUS E NUS





NA FRONTEIRA ISRAELENSE DO MAR MORTO

O artista americano Spencer Tunick, já famoso por seus retratos de nus coletivos, fotografou no dia de ontem, 17 de setembro, mil pessoas sem roupa na margem israelense do Mar Morto.


Para uns é um ato obceno, para outros é obra de arte.

Os pintores do renascimento sempre divulgaram suas obras de arte por intermédio do nudismo, entre eles podemos citar TINTORETTO. Verifica-se nas Igrejas Católicas as Obras do Renascimento, onde se observa Santas e Anjos nus.


sábado, 17 de setembro de 2011

LAMPIÃO E O TURISMO


O rei do Cangaço, Virgulino ferreira da Silva, vulgo Lampião, fora assassinado em terras de Sergipe, no ano de 1938, pela volante do Sargento João Bezerra do Estado vizinho das Alagoas.

Todo que se fala em Lampião faz sucesso. Luiz Gonzaga, o rei do Baião, cantava com o chapéu ao estilo dos cangaceiros. Livros de Lampião são bem vendidos. Lampião traz sempre prosperidade no comércio, na literatura e no turismo.

No forró do Nordeste, e no período junino de outros Estados, não se pode olvidar de Lampião e Maria Bonita, senão a festa fica sem graça, sem encanto.

A filha do rei do cangaço, dona EXPEDITA, vive em Aracaju.

Pernambuco é a terra em que nasceu Lampião, precisamente em Serra Talhada, e em Sergipe, na cidade de Poço Redondo, GROTA DO ANGICO, morreu Lampião.

Lampião é turismo, sucesso e comentários.

O TURISMO DE SERGIPE PODE MELHOR CRESCER com a exploração da trilha do falecimento de VIRGULINO FERREIRA DA SILVA - LAMPIÃO

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A IGREJA E O HIPÓCRITA

Muitas são as pessoas que aos domingos vão ao templo. Todavia, as palavras, que são ditas pelo pregador, pastor ou padre, correm ao vento, não fazem efeito. Vão ao templo por simples modismo. Conheço uma moça que sempre vai à Igreja, ela bem bonita, toda bem vestida, raro perder o sermão do pastor, quando sai do templo, anda com pessoas ímpias, de reputação não boa. E ela diz, quando recebe conselho:


"Não tou nem aí..."


Vem aquele dito: " DO QUE ADIANTA IR À IGREJA E FAZER TUDO ERRADO."

Sendo assim, é melhor ficar em casa e vê televisão. Quando o remédio não faz efeito é preciso mudar...


sexta-feira, 26 de agosto de 2011

ENERGIA POSITIVA E ENERGIA NEGATIVA

DIGA-ME COM QUEM ANDAS, QUE TE DIREI QUEM ÉS!



O ser humano é dotado de energia positiva ou negativa. Há pessoas que são como determinadas plantas, elas sugam, adoecem e assassinam as frutíveras árvores.





No dia a dia, devemos se afastar das pessoas negativas, além de contaminar o ambiente, são causadoras de trantorno, tristeza e mal-estar.





A Bíblia já orienta que o caminho dos justos não é a vereda dos ímpios.





Cada um de nós temos um amigo ou amiga negativa. Muitas e muitas vezes sabemos que o amigo é causador do mal e insistimos em tê-lo na amizade.





Se andas com os amantes das drogas, embora não sejas, a comunidade , a sociedade há de enxergar como viciado.





Sendo assim, cada um deve ter a sua tribo, senão o justo paga pelo pecador.

terça-feira, 26 de julho de 2011

FESTA DE SANTANA EM SIMÃO DIAS



A Igreja católica tinha seus escravos. A padroeira dos senhores de escravos era NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, vê a cidade de Lagarto com mais de 50 engenhos e suas senzalas. Apesar da padroeira da cidade ser Nossa Senhora da Piedade, mas possui a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Verifica-se, através da história, que Simão Dias possuia vários engenhos, entre eles Burril, Tavares, Mercador, Olhos D'água, Mulungu. Historicamente, até agora, não consegui descobri, porque a cidade dos Capa-bodes não possui a imagem de Nossa Senhora do Rosário, visto que foi predominante escravocrata. Mas na Igreja de Nossa Senhora Santana há a imagem de São Benedito, de igual modo ele está presente na Igreja de Nossa Senhora do Rosário na cidade de Lagarto-SE.








As padroeiras das cidades do interior Nordestino estão ligadas aos homens do poder. Afinal, antes da Constituição de 1889 não havia separação entre o Estado e a Igreja. Os bispos e os padres eram nomeados pelo Imperador.








Festa de Nossa Senhora Santana em Simão Dias neste dia 16 de julho, é pena que morreu o beato Nestor.








A procissão segue, os fiéis cantam e os políticos alheios à reza, vão atrás da Santa, arquitetando mais uma eleição.








quarta-feira, 20 de julho de 2011

PAPAI-NOEL EXISTE

Quando criança até sonhei em ganhar um presente de Papai-Noel, cheguei a acreditar que o velhinho existia. Depois de adulto veio tal consciência, embora não é bom demonstrar a uma criança que o velhinho é filho da fantasia, o mundo encantado de um pequeno não deve ser assassinado.
Nunca recebi presente de Papai-Noel. Em mim, a tristeza era passageira, não ficava mágoas e nem os rancores, tão comum nos adultos.
Meu filho, Marcos Vítor, nasceu no período natalino, 19 de dezembro, desde o seu nascimento, resolvi presentear crianças pobres.
Bom seria se Papai-Noel existisse, não haveria crianças pobres, chorando comida, pedindo um presente, que não chega, crianças abandonadas , crianças sem lar, sem escola.
Faça uma criança pobre sorrir, dê-lhe um presente. Seja o seu Papai-Noel. O SENHOR DAS ALTURAS agradece com a sua bênção.

LAMPIÃO, LIVRO PROÍBIDO

Se Lampião, Virgulino Ferreira da Silva, fosse vivo, quem ousaria chamá-lo de bicha, gay? A imagem de Lampião, para nós nordestinos, é do cabra macho, que não levava desafio para casa, um homem destemido que enfrentava a polícia, os soldados eram apelidados pelos cangagaceiros de MACACOS.




Há um livro: LAMPIÃO, O MATA SETE , do juiz aposentado Pedro Moraes, que fala que Lampião era gay e dona Maria Bonita era adúltera, tendo um caso com o compadre Luíz Pedro, o mais fiel cangaceiro e amigo de Lampião e Maria Bonita. O escritor Pedro Moraes diz que dona Expedita não é filha de Lampião. Esta senhora mora em Aracaju, capital do Estado de Sergipe, Nordeste brasileiro. Vale não olvidar que o rei do Cangaço fora morto em 1938 pela polícia de Alagoas sob o comando do sargento João Bezerra.




O juiz de Direito, Dr. Aldo Albuquerque, da 7a Vara Civil da Comarca de Aracaju, concedeu liminar proibindo o lançamento do livro LAMPIÃO , O MATA SETE. O pedido fora feito pela família de Lampião que se sente ofendida em sua honra e dignidade. O juiz aposentado Dr. Pedro Moraes, com certeza , não desobece à lei. A multa diária pela desobediência é de R$ 20.000,00.




Para o povo, Lampião é o bandido, Lampião é o herói ou herói-bandido, bandido-herói. LAMPIÃO BICHA, LAMPIÃO GAY NÃO CONVENCE, todavia, causa polêmica.




SONO ETERNO - CARLOS RODRIGUES

Não fui ao seu funeral, amigo Carlos Rodrigues . Soube de sua morte no dia de seu sepultamento. De uma coisa eu tenho certeza, não houve nenhum curioso presente para saber se você tinha morrido mesmo, coisa que aconteceu com um conhecido, chamado Viriato, agiota de corpo e alma.




Carlos Rodrigues, os que estavam em seu cortejo e os que não puderam ir, terão, com certeza, igual destino, afinal, a morte não oferta privilégio, morrem brancos, negros, mulatos, ricos e pobres, por intermédio dela, somos todos iguais, apesar de existir mausoléu de mármore, granito, de tijolo e muitos são enterrados na própria terra. O pó será o mesmo. Os tempos mudaram, há planos de saúde, que englobam auxílio funeral, ninguém é enterrado numa rede, coisa do passado.




Carlos Rodrigues, quantas e quantas vezes adentrei a madrugada, ouvindo seu programa MADRUGADA LIVRE na rádio Jornal de Sergipe. A insônia ia embora e dormia ouvindo suas orientações. O tempo não volta atrás. E aos sábados, lá no mercado Thales Ferraz em Aracaju, estamos reunidos no Café da Manhã no restaurante de Jardiel, um Seu Longa sergipano. Debatíamos sobre política e futebol. Já não falávamos dos cabarés , porque acabaram todos, com a morte do Tabu Sexual. A liberdade sexual fechou os cabarés.




Carlos Rodrigues, uma coisa eu nunca lhe disse, receava que você falasse, você sempre sincero, poderia dizer:




- Deixa de ser puxa-saco, meu Doutor.




Você sempre foi o melhor radialista de Sergipe e homem culto do rádio.




No fim da Madrugada Livre, estava eu presente no Programa de Paulo Lacerda, Jornal da Manhã, com o Direito do Cidadão.


Deixei o rádio, você continuou .


Você era bem polêmico, talvez vai indagar a São Pedro:


- São Pedro, por que negaste Cristo por três vezes?


Pedro, quem sabe dirá:


- Coisa do destino.




Dorme, Carlos, você sempre é eterno e sempre será.

BOA MORTE DE CLEOMAR BRANDI

CLEOMAR BRANDI - Um homem de bem com a vida


Nossa Senhora da Boa Morte veio avisar-lhe:

- O seu tempo chegou.

O cabra não tomou a notícia como surpresa, afinal já tinha o pressentimento que estava para ir para a terra do além.

O sujeito era um bom baiano. Poeta, escritor e apesar da doença que devorava o corpo, porém não destruia sua alma, fez uma bela crônica A ÚLTIMA SAIDEIRA , recordou o tempo na velha Bahia e os instantes vividos em Sergipe. Desejou uma morte diferente: com os amigos cantores, poetas, boêmios e amantes duma boa branquinha.

Chama-se, o homem que não perdeu o humor e alegria de viver, Cleomar Brandi.

A festa aconteceu depois da morte foi lá no Bar do Camilo, um mineiro que não perdeu o Uai e nem o trem bom.

O governador de Sergipe, Marcelo Déda, foi à festa e também cantou.

No funeral, o morto dormia feliz, seu sonho foi realizado com a ÚLTIMA SAIDEIRA NO BAR DO CAMILO. Para que ninguém fizesse alguma cobrança e não botasse o defunto no SPC, deixou a conta paga.

terça-feira, 19 de julho de 2011

FORA MANO MENEZES



Escrevi TRISTE FIM DA SELEÇÃO BRASILEIRA, dizendo que não acreditava na vitória da seleção . A prova maior foi no sábado, quando os jogadores brasileiros perderam os quatro gols de pênalti contra a seleção do Paraguai.

E adeus, TAÇA AMÉRICA.

O técnico deve ser mudado. Nenhum técnico brasileiro possui a garra de Murici Ramalho. O tempo de Mano Menezes chegou.

É preciso mais uma vez convidar Murici Ramalho, este sim, torna Campeão qualquer time, até o time de pelada do povoado Feirinha da Rola da cidade de Simão Dias-SE.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

TRISTE SELEÇÃO BRASILEIRA



A realidade é pedra dura, mas é preferível do que a ilusão. Esta revolta, entristece. A amada seleção brasileira foi uma tristeza, apesar da vitoria de 4 x 2 contra o Equador. Ainda bem, que não estava jogando contra a seleção argentina, senão perderia.








Entre Neymar e Ganso não havia sintonia. Em se falando em Ganzo, coisa horrível foi o goleiro Júlio Cesar, o grande Cesar de Roma ficaria envergonhado com o Cesar goleiro, recebeu dois frangos , gols marcados por Caicedo. O time do Brasil teve tudo, Ganso, frango. Ainda bem que Neymar, apesar do cabelo, parecido com o pinto pelado, marcou dois gols.








O Brasil venceu de 4 x 2, dois de Neymar e os outros de Ganso.








Nem sempre o vencedor é o melhor.








Com esta seleção, não acredito que o Brasil vencerá a Copa América. A seleção brasileira possui um bom elenco de jogadores, mas eles precisam dizer porque estão vestindo a CAMISA DO BRASIL.

terça-feira, 12 de julho de 2011

CONSELHEIRA DO MAL

Suzan fora abandonada pelo pai, quando tinha 8 anos de idade. Filha única. Sua mãe a criou, orientando-a:






"QUE HOMEM NÃO PRESTA." Na escola, Suzan via os meninos com desdém. Nunca arranjou um namorado, embora não era sapatona.






Sua melhor amiga era Sílvia. Moça elegante e bela. Silvia tinha 5 irmãos. somente ela, a filha mulher. Sentia na pele a discriminação, aos meninos tudo, para ela as coisas eram com restrição. Silvia era briguenta. Não levava desaforo para casa. Para encostar em Silvia, o cabra tinha que ser muito macho.






Suzan era moça de várias amigas. E sempre era a conselheira. Quando uma estava gostando de alguém, ela botava o mau gosto:






" Homem não presta, não dê atenção, todos tem o mesmo endereço, despreze. "






E assim elas faziam , sob a sua orientação.






O namoro de Silvia nunca deu certo. Um dos namorados chegou até a insinuar que ela era sapatona, porém gostava de homens ao seu modo.






Lindete, que tanto ouvia Suzan, se afastou dela e casou. E vive bem com o esposo.






Simone, mulher bonita e clarmosa, já ultrapassa dos trinta e cinco anos, fica lamentando, o tempo que perdeu em ouvir Suzan.






Suzan foi para o hospício.






Silvia é mãe solteira.






É preciso saber escolher a conselheira amorosa, porque quem possui trauma de infância e quem não é de sucesso, pode levar ao abismo.






segunda-feira, 27 de junho de 2011

MULHER FRIA

Marilyn Monroe


Chama-se Maria da Glória. Tivera o primeiro filho aos 18 anos. Amor sem prazer. No vai-e-vem nunca soube o que era o clímax. Igual a muitas mulheres fingia o prazer. Os homens pensando que eram sábios, eram vítimas dos gritos de Maria:
- AI, ai, ai, estou gozando.
Pobres coitados! Eram gozados.

Maria sonhava em ter prazer. Lamentava: "Meu Deus, por que isso acontece comigo?"

Fez amor à primeira vez de camisinha. Tinha medo da gravidez. Não sentiu a carne com carne. O sangue jorrou no lençol. Teve lá a sua decepção. Fez amor com Josué , um malhado da academia.
Terminado o ato, o sujeito gritou:
- Agora, você é mulher, já pode dar a quem você desejar!
Explosiva, Maria gritou:
- Filho da puta, me usa de camisinha e ainda me oferece a qualquer um.
Depois daquele dia não quis saber mais do sujeito.
Suas amigas diziam:
- Que todos homens são iguais.
Por mais de um ano, ficou só.
Ate´aparecer um segundo homem de sua vida.
Um professor de história. O cabra era meio bicha. Gostava dos dois sexos. No dia que pegou Jarbas se beijando com Diego, professor de português, teve lá a sua segunda decepção. Apesar de sempre ser tentada por Mariana, sapatona de carteirinha, nunca caiu nas cantadas de outra mulher.
O terceiro foi um viciado em crack, fazia amor, dando tapas e beliscões em Maria. Deste ele sentia prazer, todavia, não sentia o chamado clímax.
Para feri-la Marcos a chamou de fria.
Por muito tempo, achou que era fria, afinal , o prazer verdadeiro só sentia tocando em si mesmo.
O quarto homem , um advogado. O doutor Malaquias descobriu que os gritos de prazer de Maria da Glória era puro fingimento.
O profissional na área do direito, desejou dar uma surra em sua namorada. Mas assim não fez, teve medo do escândalo. Afinal, em Delegacia de Mulheres, nenhum homem tem razão, apesar de algumas mulheres pedirem para apanhar. Tara é tara. E, com o tempo se descobriu, que Maria da Glória gostava de apanhar. E prazer veraz só com pancada.
O doutor Malaquias, sem-vergonha por natureza, viu que faltava alguma coisa em Maria da Glória . Conseguiu a revelação: Se Maria conseguia o prazer por si só, o seu desejo era clitoriano.
Maria de Clitóris pequeno foi descoberta no prazer.
E a mulher, que foi chamada de fria, era a fêmea mais quente do mundo.
Prazer e desejo Maria deseja todo dia...

sexta-feira, 3 de junho de 2011

VIVER E SER FELIZ!



A cada dia a gente esquece de viver, sempre preocupado com o outro. Vivemos repletos de conceitos e preconceitos que somados nada valem, afinal, cada um viva a sua maneira, do modo que lhe apraz.








Se seu caro é um chinês chamado Kekê, sorria de seu pequeno carro, vejo-o como um Mitsubishi. A maior grandeza é ser feliz.






Fizemos um poema VIVER E SER FELIZ:






Uma rosa vermelha,



Uma mulher de batom,



Um bom vinho tinto na mesa,



Soa suave o bom vento,



Soa suave o bom tom.






Viver a cada momento,



Esquecendo o amanhã,



Aproveitar o bom tempo,



Sentir o gosto da maçã.






E se chegar o outro dia,



Lembrar que o dia anterior morreu!



Triste é viver uma velhice



Lembrando o que não viveu.



terça-feira, 31 de maio de 2011

A MULHER DO HOMEM BONZINHO

MONALISA do pintor Leonardo da VINCI.


Bartomeu era um homem apaixonado por Dicinha. Por ela era até capaz de matar ou morrer. Chamava-a de Mor e ela também assim retribuía.




Viajaram juntos para Buenos Aires. Dançaram tango, conheceram a Casa Rosada, fizeram compra na Florida, adentraram na galeria Pacífico.




E foram conhecer a Província de Tigre. Dicinha queria passear de barco, mas Bartolomeu tinha muito medo, afinal não sabia nadar. O amigo do casal, Viriato, ante a recusa de Bartolomeu, insistiu e convidou Dicinha para o passeio. Dicinha sempre fora uma mulher independente. E foi passear com o amigo. Bartolomeu para não contrariar a amada, não protestou.




Se você seu amigo Severino, este cabra macho lá da Paraíba, não ia admitir sua esposa passeando com um amigo. Dizia Severino:




- Homem que entrega a mulher de bandeja, se não é corno, corno vai ser.




Pensava ainda " Homem bonzinho com a mulher dos outros, é cabra sem-vergonha. Quer dar uma beliscadinha.




Quando Dicinha estava se beijando com o amigo Viriato, ao abrir os olhos, percebeu a presença de Januário, irmão de Bartolomeu. A safada da Dicinha enrubesceu.




Ainda tentou consertar , dizendo ao cunhado:




- Januário, não é o que você está pensando.




Januário:




- Não se preocupe, não vou falar nada!




Mas lá no recôndito d'alma dizia:




- Vou salvar meu irmão, ainda bem que está bandida não tem filhos.




Com a chegada no Brasil, a bomba estourou.




Bartolomeu ficou decepcionado. Divorciou de Dicinha. Um ano depois, Dicinha morria de AIDS.




quarta-feira, 25 de maio de 2011

A MORTE DO TOUREIRO E A VIDA DO BOI




Cada dia morre um boi na arena
E a gente sem pena
Ri de mais uma partida de um boi
E quando o toureiro foi
Para a terra dos pés juntos
Alguém lembrou de um boi defunto

Mais um boi na arena
E a pobre criança se lembra
Que ontem um negro boi caiu
E o povo riu, riu, riu
Se todos os dias morresse um toureiro
E ficasse vivo o boi
A tourada morreria
Um boi viveria
E um homem permanecia em alento
Sem a tristeza do foi.
Será se ainda vai chegar este tempo?

segunda-feira, 23 de maio de 2011

DETALHES PARA MULHER

Quadro de Sandro Botticelli - ALEGORIA DA PRIMAVERA



Há mais de 10 anos, labuto na Vara de Família, como Defensor Público do pequeno Estado de Sergipe, com ações de Divórcio, Pensão Alimentícia, Guarda de Menores. A tarefa não é fácil, muitas e muitas vezes, a mulher não carece de advogado, mas de um amigo, um psicólogo. Uma das grandes causas da separação é a maldita hipocrisia. Os casais sempre vivem escondendo as unhas, antes do casamento. É mister a sinceridade. Com o casamento, brota a grande revelação, as pessoas mostram o verdadeiro retrato, a verdadeira cara.



Já é uma hipocrisia dizer diante do altar: "Até que a morte separe." Ninguém está obrigado a viver com alguém de mau gosto, se não deu certo, é partir para o novo amor.



Sempre tive convivências duradouras. Quem pode testemunhar melhor é a mãe de meu filho. Depois dela, outras convivências com durabilidade.



Viver é saber conviver. Dou-me muito bem com a mãe de Marcos Vítor.



Outra dia, uma cliente de nome Kera me pediu que eu escrevesse DEZ MANDAMENTOS PARA MULHER, eu disse que a tarefa não era dotada de facilidade. Mandamento só de Moisés sob à orientação divina, mas escrevi DEZ DETALHES. Não me sou Senhor da Verdade, só Deus, mas o que fora escrito, penso, sem falsa modéstia, carece de REFLEXÃO, vejamos pois:



DETALHES:



l. A verdadeira amiga não concorda sempre. Muitas vezes discorda, mostrando o caminho da verdade. A concordância de SEMPRE é hipocrisia, porque os pontos de vista não são 100 % (Cento por Cento).



Verifica-se que no dia a dia, a mulher vive escutando os conselhos da amiga. E se a amiga for infeliz ou estiver na fossa, gozando da solidão? O bom mesmo é ouvir as amigas bem casadas e de bons relacionamentos. O exemplo leva à vitoria, ao bom caminho.



2. Muita gentileza é hipocrisia, há o tempo da dureza, é claro, sem perder a ternura.



A mulher vive sonhando com o príncipe, o castelo. É preciso botar os pés no chão. Não esquecer que os brutos também amam. Os que sinceramente falam a verdade. A mentirinha não é coisa de homem.



3. Não oferte seu sorriso para todos, alguém pode confundir, querendo adentrar em sua intimidade.



Para uma mulher ficar bem resguardada, não deve sorrir para todo homem. Este pode confundir amizade com intimidade. É preciso se vigiar.



4. Se deseja conhecer uma pessoa verdadeiramente pergunte : SE GOSTA DE CRIANÇA, PLANTA E ANIMAL.



Através das perguntas, observar-se-á se a pessoa é dotada de sentimento.




5. Amor recíproco só de pais e filhos.



A Balança do amor não possui equilíbrio, alguém vai gosta mais do que outro.



6. Se posui amor de humilhação, deixe-o, a autoestima vale mais.



Conviver com quem lhe humilha, com quem lhe maltrata, com quem lhe diz que lhe odeia, não vale a pena. A vida traz o exemplo, se renova a cada manhã. Você merece se feliz.



7. Mulher que não chora, cautela, cautela!



Chorar faz bem a alma feminina. O choro lava a alma. O homem não deixa de ser homem com o choro, é machismo dizer que homem não chora.



8. Viverá sempre só, se não compartilhar.



É preciso lembrar a história de dois burros. Dois burros amarrados, lutavam para comer duas moitas de capim. Um puxava de um lado, outro puxava para o outro flanco. Depois de cansados , fizeram um acordo: ambos iam comer a mesma moita. E assim aconteceu, saciaram à fome.



9. Viver é tolerar o outro.



Se você não tolera, não suporta ouvir a opinião do outro. Achando que é independente. Lamentavelmente, o caminho é a solidão. Há muitos casos e casos como exemplos.



10. Nunca fale do ex, diante do atual, pode haver falsa interpretação.



Aquela amiga que lhe aconselha em falar do outro, para provocar ciúme, não é tão sua amiga, veja : se ela não está só. Nem o homem e nem a mulher gostam de ouvir comentários do ex.



LEMBRE-SE HOMEM E MULHER NÃO SÃO LIVROS DE RECEITA, CADA SER POSSUI SEU JEITO DE SER. NÃO ESQUEÇA DETALHES SÃO DETALHES, MAS COM ELES VOCÊ PODE TRILHAR NO CAMINHO DA REFLEXÃO.









Osvaldo Abreu é poeta, escritor, Defensor Público com experiências por mais de 10 anos na VARA DE FAMÍLIA na cidade de Aracaju, Capital do Estado de Sergipe.

terça-feira, 17 de maio de 2011

GENTE DO ALÉM

CHICO XAVIER E SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO, A CACHORRA BONECA



Acreditamos na existência da gente do além. O eterno Chico Xavier chamava a gente do além de seres invisíveis. Para uns são invisíveis, mas para outros são tão visíveis. Determinadas pessoas falam e se comunicam com a gente do além. Mentores e mentoras existem.
Fizemos um simples poema:

É MISTER CAUTELA!
FERA, AO MEXER COM O PROTEGIDO,
DE ESCUDO DA MENTORA.
NO INSTANTE, GUERREIRO FERIDO!
POBRE DE TI, TERÁS VIDA SOFREDORA,
ARREPENDERÁS DE TER NASCIDO.
A GENTE DO ALÉM
ADICIONA AMOR E PAIXÃO!
VERÁS: NÃO VEM QUE NÃO TEM!
DERROTA EXÉRCITO E BATALHÃO!
DO PROTEGIDO AFASTA-TE!
SE PORVENTURA QUERES LONGÍNQUA VIDA
É SUICÍDIO, QUE A TI, MATA-TE
CAUSA-LHE DOR E FERIDA!

domingo, 1 de maio de 2011

DUTRA, DÉDA E A SÍNDROME DE ABANDONO


Ninguém pode negar que o Partido dos Trabalhadores (PT) em Sergipe D'el Rey cresceu graças a ZD, isto é, Zé Eduardo Dutra e Déda. Um bom acordo entre o PT E O PST, daquele tempo, do senador Antônio Carlos Valadares, hoje do PSB, fez Zé Eduardo senador da República em 1994. Zé foi líder do PT, grande parlamentar, que bem honrou o Estado que ele representou, o pequeno Sergipe, apesar de Zé Eduardo ter nascido no Rio de Janeiro. Ele torcedor da estrela solitária do Botafogo. Zé foi presidente da Petrobrás, presidente da BR Distribuidora. E, no ano passado, tornou-se presidente do Nacional do Partido dos Trabalhadores, sendo o seu vice o paulista Rui Falcão.
Zé não ficou só nisso, foi um dos coordenadores da campanha vitoriosa da mineira presidente do Brasil, Dilma Rousseff.
Na distribuição dos cargos, os dois companheiros Antônio Palocci e José Eduardo Cardozo, receberam como prêmios, o primeiro, Ministro da Casa Civil e o segundo, Ministro da Justiça e José Eduardo Dutra ficou a ver navios de saudade no Rio Sergipe.
Zé Eduardo, provavelmente, era um dos Deputados Federais eleitos por Sergipe, deixou a candidatura para vestir a camisa da campanha da presidente Dilma Rousseff.
Há notícias que o Zé encontra-se com a síndrome do pânico. No dia 29, sexta-feira, de abril, Zé renunciou à presidência do PT. O cabra bem poderia pedir uma licença, todavia, foi cabra macho,
de forma irrevogável deixou de ser presidente do PT, em seu lugar ficar o vice Rui Falcão.
Na política, pior do que a síndrome do pânico é a síndrome do abandono, da falta de prestígio, que faz adoecer, faz lamentar.
Quem sabe se o Zé não vai ser secretário de Estado em Sergipe, um sujeito inteligente, de honra.
Déda e Zé cresceram e prosperam no PT. O governador de Sergipe, Marcelo Déda Chagas, um capa-bode de Simão Dias, não deixa e não deixará o Zé só. É um companheiro fiel em todos os pontos de vista.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

PRINCIPE WILLIAM E O CASAMENTO DE ZEFINHA



No Brasil, naquele tempo, havia o tabu sexual, repressão policial, época do AME-O OU DEIXE-o. O Brasil vivia sob o regime militar, o presidente das terras canarinhas, era o general Garrastazu Médice. O juiz da comarca do interior usava os rigores da Lei, mexeu com a moça virgem, o sujeito tinha que casar, caso fosse menor, ou então ia para a cadeia. E a legislação anacrônica previa: Que o sujeito que casasse com moça não virgem, poderia requerer a anulação do casamento. Moça descabaçada tinha o nome de perdida. E recebia a recomendação de sua mãe:

"NÃO ANDE COM FULANA QUE É PERDIDA, SICRANO A FUROU."
E a pobre moça perdia suas coleguinhas , porque se entregou ao cabra sem-vergonha, safado mesmo.
Em Simão Dias, terra do governador de Sergipe - Marcelo Déda Chagas e do senador Valadares, existiam os cabarés, tão necessários à época, Bico-da-Asa era o mais famoso, lá de quinta-feira aos domingos, a casa das meninas da noite era prazer, gozo, música, bebida e festa. As moças que se perdiam , corriam para a rua do Mulungu, quando jogadas na rua por pais repletos de preconceitos. Outro, menos famoso, era o da Maré Mansa, no Bairro Bomfim, que também chamavam o cabaré da Ilha das Cobras. E a rua da Aurora tinha também uma casa onde a carne humana era oferecida ao prazer e ao gozo. Quem conhece a cidade, bem sabe: que a rua fica bem próxima à Igreja Matriz. Muitas vezes, o sino badalava e a moça gemia e gritava na alcova.
E de lá da serra da Vargem-da-Isca, Curral dos Bois, veio se casar na cidade Zefinha de Seu Mané. Quando o jegue rinchou às quatro horas da manhã, A jega que vinha trazer a moça já estava com arreio. As irmãs da moça, o pai e a mãe seguiram o cortejo a pé, enquanto a donzela estava sentada no lombo do animal.
Chegaram na Igreja às oito horas da manhã, o noivo e sua família já estavam esperando. O sujeito matutava: "É hoje que eu tiro o cabaço de Zefinha."
O casamento foi realizado. À noite, depois do forró, com a saída de todos, Zefinha gritou, chorou e gritou e o sangue jorrou no lençol branco.
E o cabra se achou macho e a moça machucada.
Hoje, dia 29 de abril de 2011, foi o casamento do príncipe William e a plebéia Kate, matrimônio realizado na Inglaterra. Ela de 29 anos e ele de 28 anos. Tempo da liberdade sexual, a família real já não pode exigir o virgindade da moça.
Não se sabe se o casamento vai dar certo, afinal, vivemos o tempo do divórcio.
Dona Zefinha e seu Zé ainda vivem. Acordaram cedo e assistiram o casamento do casal inglês pela televisão. Dona Zefinha com as marcas e riscos do tempo s0nhou que era a moça que estava casando, sonhou que era princesa, imitando milhões de moças em todo mundo.


quarta-feira, 27 de abril de 2011

A JUÍZA E A ESTATISTICA

O advogado Demétrio acreditava para ser juíza de família, a magistrada tinha que ser casada, ter filhos, se fosse divorciada, solteira, ele acreditava que não podia ser da vara familiar. A Lei devia, em sem ponto de vista, criar restrição. Afinal, ainda pensava que padre não podia falar do relacionamento amoroso, pois não podia casar. Filosofava: "É preciso vivenciar." Tal pensamento não era comungado pelo seu amigo Pascoal, este falava: não é preciso viver o problema, mas é necessário ter sensibilidade e espírito de justiça.



Quando adentrou na sala de audiência a juíza substituta Dra. Feliciana, no recôndito d'alma ele já criou a discriminação:



"ESTA JOVEM JUÍZA NÃO PODE JULGAR CASO DE FAMÍLIA, MAL SAIU DA FACULDADE, AGORA É JULGADORA." Matutou: "Esta poderia bem está desfilando e concorrer para o concurso de Miss." Viu nos dedos delicados da juíza que inexistia aliança. De forma proposital, disse:

- Doutora, bom dia, a senhora está bem?

- Doutor, senhora não, senhorita de preferência!



Pelo dito da juíza percebeu que era solteirinha da silva.



Para encurtar a história, a audiência era uma Ação de Alimentos.

A jovem mãe já entrou no recinto chorando. O pai da criança há muito tempo não dava a pensão alimentícia de seu filho Obama. Nome de presidente dos Estados Unidos, mas nordestino passando necessidade.



A juíza tinha pressa na audiência, determinou 10 % do salário mínimo para descontar na folha de pagamento do pedreiro Severino Malaquias da firma Edificar.



Mais uma audiência finda. E a juíza estava feliz , mais um processo julgado. Uma mãe voltava triste a sua casebre, revoltada com o pouco estabelecido. E a juíza, em estágio probatório, adicionando mais um processo.













sábado, 9 de abril de 2011

TRAGÉDIA NO RIO DE JANEIRO E A POLÍCIA DA ESCOLA


Wellington Menezes de Oliveira - assassino - que fora morto pela polícia


A tragédia do Rio de Janeiro na quinta-feira, dia 7 de abril de 2011, onde um ex-estudante, Wellington Menezes de Oliveira, da Escola Municipal Tasso da Silveira, bairro de Realengo, assassinou mais de 10 estudantes da mesma unidade serve de alerta para todo o Brasil.
No passado, havia a figura do inspetor de alunos. Hoje, há uma necessidade urgente de se criar no Brasil a POLÍCIA DA ESCOLA.
Há uma insegurança nas escolas, lamentavelmente, está existindo o tráfico de entorpecentes em algumas unidades da Federação.
A presidente da República - DILMA ROUSSEF - que chorou instantaneamente, quando soube da tragédia, deve dar ao povo brasileiro a alegria de uma política de segurança em prol dos alunos e professores.

Urge, pois, a POLÍCIA DA ESCOLA.

Por Osvaldo Abreu

terça-feira, 5 de abril de 2011

LAMPIÃO E O BOI MANSO

LAMPIÃO E MARIA BONITA
Para uns é um bandido, para outros é um herói. Falar do Nordeste brasileiro sem citar Virgulino Ferreira da Silva, Lampião, é anunciar o céu sem citar as estrelas. Em procurando as origens da família de Lampião, fora caluniada, injuriada e difamada. Escrevemos LAMPIÃO E O BOI MANSO:


MEU FILHO, NUNCA LAMENTA A SORTE,

PIOR DO QUE A FÍSICA MORTE

É A MÁ SORTE!

TRISTE LANÇA DA TRAIÇÃO!

SER FERIDO PELA CALÚNIA, INJÚRIA E DIFAMAÇÃO!


UM HOMEM PACATO E CONTIDO

TORNOU-SE O FAMOSO LAMPIÃO.

SEMPRE O BOM ACONTECIDO

SEMEAR BOA SEMENTE NO CORAÇÃO.

O HOMEM TRAÍDO, CALUNIADO, INJURIADO E DIFAMADO

VIRA LAMPIÃO.

NÃO MEXE COM O BOI MANSO COM O FERRÃO,

METAMORFOSE EM FERA DO GADO.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

O PALHAÇO DENTRO DA GENTE


Na criança e em seu cão há a sinceridade plena. O dia a dia é um palco, onde cada ser humano vive a representar seu papel na vida. Os verdadeiros, como de praxe, serão discriminados. Os que ficam em cima do muro, sem opiniões, serão beneficiados, são os Pilatos. Mesmo assim, não devemos discriminá-los, afinal cada pessoa deve viver como lhe apraz.


Em cada um de nós dormita um palhaço. Escrevemos O PALHAÇO DENTRO DA GENTE:

VÊ AQUELE PALHAÇO

DIFERE LÁ NO CAMARIM!

FAZ RIR O HOMEM DE AÇO,

PALHAÇO CARRANCUDO É SIM...


SE SOUBESSE AQUELA CRIANÇA

QUE O PALHAÇO CHORA GRANDE DOR!

CAÍ DA REDE QUE BALANÇA!

DIRIA: " PALHAÇO É SOFREDOR!


QUEM COM A GENTE HUMANA LIDA

É MISTER SABER PREENCHER ESPAÇO,

SENÃO VEM A DOR E A FERIDA.


SOMOS DA VIDA O PALHAÇO!

NO DIA A DIA A PERFÍDIA!

DIFÍCIL É VIVER O HOMEM DE AÇO.

O PALHAÇO DENTRO DA GENTE

quarta-feira, 30 de março de 2011

ALENCAR E A DECÊNCIA

Ninguém pode mal falar dos políticos, dizendo que político não presta. Há, como em toda profissão o mau e o bom. O empresário José de Alencar é um exemplo para o Brasil e o mundo inteiro dE homem íntegro, de honra e de glória.

Fora ele vice-presidente da República do Brasil no período de Lula.

Sofreu várias cirurgias, porém nunca se entregava. O câncer devorava o corpo, mas o espírito de luta, a alma da integridade não era atingida.


Faleceuy ontem José Alencar, chora o Brasil, chora a gente do país verde-amarelo. Quem vai acompanhar o cortejo, segue os passos do HOMEM ORGULHO DA GENTE BRASILEIRA.

JOSÉ ALENCAR será sempre eterno.


Em cada rua, em cada avenida, em cada praça, deve existir o nome de JOSÉ ALENCAR.

quarta-feira, 23 de março de 2011

A USINA NUCLEAR E A VIDA


Sergipe é um paraíso no Nordeste brasileiro. O Estado pequeno, mas grande em belezas naturais e na qualidade de vida de seu povo. João conhece Maria, que conhece Francisco , que conhece José. É a terra que todo mundo se conhece e quem não se conhece , já ouviu dizer.

No Nordeste , até 2030, é Projeto do Governo Federal a criação de duas Usinas Nucleares. Os quatro governadores nordestinos da Bahia, Sergipe, Alagoas e Sergipe pretendem tais usinas. Depois das mortes no Japão, Há o grito de insatisfação em todo mundo, o governador de Sergipe, Marcelo Déda Chagas, deu um pronunciamento:


" A PRETENSÃO DO ESTADO DE SERGIPE EM DISPUTAR A INSTALAÇÃO DE UMA USINA NO NOSSO TERRITÓRIO, PRESSUPÕE GARANTIAS PLENAS DE SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES, SEM ESSAS GARANTIAS, NÃO HÁ COMO DEFENDER TAIS EMPREENDIMENTOS." Verifica-se que ao Japão fora ofertado tais garantias. E o povo de cultura milenar sentiu na pele a dor da morte, da angústia e do sofrimento.

O Japão ainda chora seus mortos.

É mister muita cautela na construção de uma USINA NUCLEAR.

A VIDA VALE MAIS DO QUE O DESENVOLVIMENTO COM MORTES.

segunda-feira, 14 de março de 2011

O SAPO E O URUBU

Simpatia e antipatia são inerentes à alma humana. Julgar pela aparência não é coisa boa. Os enganos sempre acontecem.
Precisa-se de moça de boa aparência é uma discriminação contra a moça feia. Julgar pelos trajes é mal julgar, afinal, o cidadão não é possuidor de bens e não é rico. Como vai vestir uma roupa de grife. E grife é besteira, devemos vestir ao nosso modo.
Vê na natureza o sapo e o urubu são odiados por serem esquisitos e feios, mas a gente que os detesta, olvida da utilidade de ambos.

E vai lá um versinho de nossa autoria:

SER FEIO SEM SIMPATIA
TRAZ NA ALMA A MELANCOLIA.
O SAPO BEM CANTA,
AINDA DIZEM QUE COAXA.
O URUBU FAZ A LIMPEZA NA PRAÇA
E VEM O PSEUDO-CRISTÃO
ATIRA PEDRAS E PEDRAS.
SER FEIO NÃO É MOLEZA NÃO.

segunda-feira, 7 de março de 2011

MANGUEIRA


Dedico este poema ao compositor e poeta, Nélson Cavaquinho, que já viajou além e ao compositor Chico Buarque de Holanda , mangueirense e também torcedor do meu FLUMINENSE

MANGUEIRA

DE OSVALDO ABREU


Quando a mangueira chega na Avenida
É o grito da vitória,
É o grito da vida!
Mangueira é granda na história:
Estação primeira,
No sertão, é árvore sombreira
Que abriga o cansado viajante.
Seus frutos alimentam o infante
E também o ser maior.
Mangueira é estrela;
Mangueira é sol!
No coração, faz bem tê-la.
Mangueira, mangueira, mangueira
Na Avenida é bom vê-la !
Mangueira é fase boa,
Lua, lua, lua cheia.
Mangueira é liberdade;
Pássaro que voa;
Mangueira é felicidade;
A voz de Deus que soa!

sábado, 5 de março de 2011

CARNAVAL E O AZAR

GALO DA MADRUGADA




Olha, seu moço, já brinquei carnaval em Recife, já brinquei carnaval em Salvador. Já brinquei em Sergipe: Tobias Barreto , Neópolis e Simão Dias.

Lá em Simão Dias, a orquestra era os tremendões . Saía pelas ruas da cidade e tocava no clube Cayçara Clube. E lá aos quinze anos, eu brincava o frevo pernambucano, o axé dos baianos veio depois.

Na região Sul do pequeno Estado de Sergipe, o carnaval famoso mesmo era o de Tobias Barreto.

Triste carnaval foi aquele que eu e Dina fomos brincar em Tobias Barreto. Meu carro quebrou em Tanque Novo e ficamos vendo a lua e as estrelas na estrada.

Lá na Bahia, carnaval de Porto Seguro, ao descer do ônibus, torci o pé. Enquanto a turma da excursão se divertia, eu ficava na pousada, deitado numa cama , esperando o carnaval passar.

Em Salvador, relógio de São Pedro, naquele tempo, Moraes Moreira era o sucesso do carnaval baiano, e vinha ele a cantar: "Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu." Entrei no embalo, um baiano abençoado pela macumba deu-me uma rasteira e mais uma vez, passei o carnaval arrastando a perna.

E, agora, já é carnaval, estou com quatro pontos na perna esquerda, fui cortar uns galhos duma árvore, o facão escapuliu e um corte profundo.

Diante da televisão, estou assistindo o Galo da Madrugada lá no Recife. Pernambuco , que saudade! Brinquei em Olinda, ouvindo o cantar de Alceu Valença e na voz de Claudionor Germano, música de Capiba. Na terra de Lampião, o azar não veio, ainda bem. Também era querer demais, boca de agouro.

O axé da Bahia é bom, mas sou da velha guarda do frevo.

E VIVA O CARNAVAL PERNAMBUCANO, O CARNAVAL MAIS ECLÉTICO DO BRASIL.



sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O AMOR DO FILHO

Um filho no leito da morte liga para seu pai empresário:

- Alô, papai...

O pai na agonia do dia a dia:

- Meu filho, depois eu falo com você.

O pai poderia suspender a reunião e ouvir o seu pequeno de 5 anos.

Retornando à sua casa, o filho estava morto, mas a havia um pequeno bilhete:

"PAPAI, EU SOU QUERIA DIZER: QUE TE AMO."

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

FALSIDADE


No dia a dia , a traição, a falsidade estão sempre presentes no semblante humano. Viver é saber conviver com as adversidades. Há falsos risos no palco da vida. Os verdadeiros serão tidos como loucos. Dizer o que pensa vale a pena? Ou é melhor a conveniência?

Escrevemos um poema FALSIDADE:

O mal semeias...
Covarde, lança o o espinho!
Corre em tuas veias
Pedras e pedras no caminho.

O ser diante de ti fica em apuro!
Pobre passarinho sem ninho!
À noite, és um vampiro atrás do muro,
Uma serpente sem carinho.

Tu da nascente perfídia,
Olvida da ação e reação.
Falsidade é tua comida.

Calúnia, injúria e difamação
Vives a espalhar na vida.
O próprio mal atingirá teu coração.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

TRISTE SELEÇÃO BRASILEIRA

Karim Benzema do Real Madrid - Jogador da seleção francesa que marcou o gol da vitória contra o Brasil = FRANÇA 1 X O BRASIL.

Mais uma vez a seleção brasileira perdeu para a francesa. Já virou freguês. O Brasil levou o bom samba para as ruas de Paris. E sambou dentro do Stade de France. A França venceu no dia de ontem, 9 de fevereiro, pelo placar de 1x 0.


O jogador da seleção brasileira - Hernanes - parecia um jogador de luta livre, deu um pontapé no peito de Karim Benzema. A vítima deu o troco, marcou o gol da Franca. A vingança foi realizada.


E a nossa triste seleção brasileira saiu derrotada do estádio sem graça e sem encanto.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

A FEITICEIRA E A PEDRA

E a menina Rafaela pediu ao escritor que escrevesse uma pequena historinha : A FEITICEIRA E A PEDRA.

O escritor contou a história de uma menina em que vivia em um castelo na Itália e que aos 6 anos evitou a morte de seu pai.

A pequena feiticeira morreu muito jovem. E avisou ao seu pai: "Que tinha conversado com o anjo e ele vinha buscá-la." Uma semana depois a pequena faleceu.

Quando o escritor estava escrevendo a história, apareceu uma mulher de cabelos longos e ficou ditando o que devia dizer a jovem Rafa.

Rafa era órfã de pai e mãe.

A gente do além existe.

sábado, 29 de janeiro de 2011

UM CÃO NA FLORIDA

Maria Bonita, mulher coragem, mulher de Lampião e seus dois cães.



Osvaldo Abreu é poeta, doutorando em Direito pela Universidad Nacional de Lomas de Zamora na Argentina. Dedica este poema ao argentino Conca, melhor jogador do Campeonato Brasileiro de 2010, grande jogador do Fluminense - CAMPEÃO BRASILEIRO.



Poema: UM CÃO NA FLORIDA



Um cão na Florida


Assistia a gente ansiosa


Por sapatos e panos.


E percebia que a primavera e a rosa


Coitados! Não são contemplados pelo bicho humano.


Sentia que há tanta ilusão


Holofotes, luzes e aparência.


O homem pela natureza perdeu a paixão.


A prata e o ouro representam decência!


Que utopia! Em massa, a humanidade vai ao caixão!


O semblante não traduz a alma,


Vigora e é capionga a perfídia.


Jesus, ó Jesus, que mundo! Quem se salva?


Tantos e tantos suicídios por comida!


Cuidado! Gente que se diz calma.



E aí, o pobre animal sofria desdém...


De patas feridas, ninguém ouvia au, au, au...


Um dia, seremos cão também


Em Buenos Aires e em qualquer canto universal!


A brisa e a tempestade sempre vêm...


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

VIÚVA ETERNA

E o fato aconteceu no interior do Nordeste brasileiro. Na pequena cidade, dona Firmina possuía o dom de ficar viúva. Nos braços de Firmina morreram Ananias, Viriato, Cornélio e Expedito. Quando já tinha 60 anos, Firmina casou com Expedito, jovem de 25 anos. O homem não precisava estar numa academia de ginástica, era bem preparado, pegava em seus ombros um saco de feijão de mais de 50 quilos sem muita dificuldade.

E todos diziam: " Desta vez Firmina vai primeiro ao paraíso dos pés juntos. "

."Expedito morreu de acidente de carro aos 26 anos.

Depois do quarto marido, Firmina não mais casou. Morreu aos 85 anos.

Zé Bodocó, cachaceiro por natureza, lustrador de sapato , dizia: "Quem nasce pra enterrar defunto, tão cedo não pode ser enterrada."

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

CANGACEIRO TRAÍDO

ZÉ BAIANO FORA MORTO NO POVOADO ALAGADIÇO, MUNICÍPIO DE FREI PAULO-SE

Em Sergipe, o maior colecionador das armas dos cangaceiros é meu amigo Porfírio do povoado Alagadiço. O homem possui um museu do cangaço. Foi em Alagadiço que foi morto Zé Baiano, que bem vivia no lugar. Zé Baiano era poeta, sanfoneiro. Um dia, quando foi traído por sua mulher a ferou no rosto com ZB. E assim, ficou com a fama de agressivo, quando era um cidadáo (Este computador argentino náo possui o tio) pacato, ouvi depoimentos de gente do lugar, que conheceu Zé Baiano. A história como sempre há várias versóes (este computador argentino mais uma vez).


Segundo a outra versáo ( O acento agudo é para dizer que tem um tio) , os matadores de Zé Baiano o assassinaram para ficar com os contos e os réis. Zé Baiano, naquele tempo, fazia agiotagem. Um dos matadores ficou bem rico, comprou , de imediato, uma fazenda.


A história dos vencedores difere dos vencidos.


A nossa história, em geral , é a história do poder.




sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

SENTENÇA DO JARDINEIRO













A Marcos Bandeira







Meu caro juiz,
O mundo da Lei
Deixou o homem infeliz
Maldita sentença
O homem em sua presença
Não pode provar a inocência
E vai à triste masmorra
Ele não matou
Há um álibe
Ele é jardineiro
No momento da tragédia
Ele colhia uma flor
Para doar a filha deficiente
O nome dele é José Vicente
E não foi observado
Que JOSÉ DE VICENTE
É o seu cunhado
José Vicente
Na boca possui dois dentes
Um podre , outro brocado
José de Vicente
É banguelo
Sujeito desdentado
José Vicente
É manco da perna direita
José de Vicente
É manco da perna esquerda
José Vicente
Não sabe usar a caneta
Analfabeto de pai
Analfeto de mãe
José de Vicente
O nome sabe fazer
Bem rabiscado
A sentença já foi proferida
José Vicente
É um sujeito suicida
Dele pode aguardar a morte
Porque há homens que nasceram sem sorte
Sempre são confundidos
Pobre José Vicente
Vítima transformado em bandido
Se gritar a consciência de Vossa Excelência
Chamem os dois para acareação
São homens sem réis , nem tostão
Verá que José de Vicente
Vai dizer que foi ele quem matou
E não o jardineiro que colhia uma flor.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A MULHER NOSSA E A CAMAREIRA






Os homens, em geral, são bagunceiros, existem aqueles bem arrumadinhos. As mulheres inegavelmente são organizadas, é claro que há exceções.

No hotel, não se pode negar os bons serviços da camareira. Deixa o quarto bem arrumado, da cama ao lençol.

A camareira é semelhante a muitas mulheres de muita gente que investigam, sabem, veem , mas fingem não enxergar. Estas não possuem a garantia do emprego, mas a durabilidade da convivência.


VIVER É SABER TOLERAR O OUTRO.



quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

A CALÚNIA E A BEATA


Quadro do pintor renascentista FREI ANGÉLICO


A beata Zefinha era a moça mais virgem da pequena cidade do interior. Anacleto até que tentou namorá-la, ela não aceitou. O sujeito espalhou o boato que Zefinha estava tendo um caso com o padre Marcos. Muitos acreditaram e a coitada da Zefinha, decepcionada, foi embora do lugar. Zefinha depois realizou o seu sonho, tornou-se freira.


O sujeito não parava de caluniar. Outro dia, ele caluniou um Delegado, dizendo que o homem do inquérito policial estava recebendo propina do jogo do bicho. O Delegado empurrou o sujeito na cadeia.


Se não pode falar bem, ruim é falar mal.


Já disseram da CALÚNIA:


"A LÍNGUA QUE CALUNIA MATA 3 PESSOAS: A QUEM PROFERE A CALÚNIA, A QUE ESCUTA E A PESSOA SOBRE A QUAL SE FALA."

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O BRINQUEDO JOGADO

CRIANÇAS NA LIXEIRA



MEU FILHO,



Agradeça a Deus!


Ainda ontem eu vi


Bem próximo ao Ateneu


Uma criança abandonada


Dormia e sonhava


Talvez no sonho seu


Sonhava com utopia


De um mundo bem melhor


De sol e alegria


O mundo de ingratidão


Assim não responde


E não respondia


Meu filho, aquele brinquedo


Que na velhice foi jogado


Poderia oferta um sorriso


Ao menino abandonado


Buenos Aires, 18 de janeiro de 2011


Ao meu filho Marcos Vítor;


De seu pai,


Osvaldo Abreu


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

PÉ NA COVA E A TERRA DOS PÉS JUNTOS

O assunto é sério. Mas vamos contar como se fosse uma história infantil.
Era uma vez uma família de 15 filhos. Cresceram e multiplicaram numa cidade do interior. Envelheceram. Ficaram avôs e avós. O mais novo tinha 70 anos. O mais velho já ultrapassava dos 80 anos. Estavam todos velhos, mais risonhos.
Entre eles havia a disputa: "Quem seria o primeiro a morrer."
Quando Rosa adoeceu e foi enternada gravemente. Gritou Zeca:
- Rosa agora vai para o paraíso do pé na cova.
Quatro anos depois, Zeca viajou para a terra dos pés juntos.
Rosa saiu do pé na cova e ficou para contar a história.

BUENOS AIRES E MEU FILHO

Meu filho, viver é lutar. desistir é morrer. Retornei a Buenos Aires. Continuação do curso de Doutorado na Universidad Nacional de Lomas de Zamora. A viagem foi tranquila. Sem muita turbulência. Eu tinha medo, muito medo de viajar de avião. Receio de morrer. Mas a morte é como a vida, tem o dia certo. Uns morrem abruptamente, outros de forma natural. Há uma certeza incontestável todos viajarão a cidade dos pés juntos. Estou mais tranquilo, perdi o medo de viajar de avião.


Buenos Aires é uma cidade de muitos prédios antigos, porém, a modernidade por aqui chegou. A capital dos argentinos é bonita, de grandes avenidas. Los hermanos são afáveis. O fubebol é outra coisa. Os homens brasileiros cumprimentam uns aos outros com o aperto de mão; os argentinos com o beijo no rosto. É a tradição.


Estive numa casa de show - CUBA MIA. A música cubana é alegre, parece com o nosso forró. O povo argentino gosta do Tango, as canções são tristes. Você não nasceu nos anos 40 e 50, de igual modo o seu pai, mas acompanhando pela internet as canções brasileiras dos anos citados, bem faz lembrar o tango. Eram os cantores da época Marlene, Emilinha Borba, Francisco Alves. Que bela voz Dolores Duran. Que começou a cantar aos 10 anos e em 1959, morre jovem.


Meu filho, nunca desista.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

A DAMA DO CABARÉ E NOEL ROSA

A DAMA DO CABARÉ, AMOR DE NOEL E DO POETA MÁRIO LAGO


Ninguém pode negar, o maior sambista brasileiro é Noel Rosa. O compositor e poeta teve uma vida prematura, morreu antes de completar 27 anos. Ele nascido em 11 de dezembro de 1910 e morreu em 4 de maio de 1937. Noel foi casado com a sergipana Lindaura que morreu em 2001. Filho do comerciante Manuel Garcia de Medeiros Rosa e a professora Marta de Medeiros Rosa.
O poeta Noel Rosa amou Ceci, a dama do cabaré, e para ela fez uma canção DAMA DO CABARÉ:




Foi num cabaré na Lapa
Que eu conheci você
Fumando cigarro,
Entornando champanhe no seu soirée

Dançamos um samba,
Trocamos um tango por uma palestra
Só saímos de lá meia hora
Depois de descer a orquestra

Em frente à porta um bom carro nos esperava
Mas você se despediu e foi pra casa a pé
No outro dia lá nos Arcos eu andava
À procura da Dama do Cabaré

Eu não sei bem se chorei no momento em que lia
A carta que recebi, não me lembro de quem
Você nela me dizia que quem é da boemia
Usa e abusa da diplomacia
Mas não gosta de ninguém

Foi num cabaré na Lapa...


Chico Buarque de Holanda, cantor, compositor, romancista e poeta brasileiro, torcedor do meu Fluminense, gosta muito do samba de Noel. A CHICO dedico este poema A DAMA DO CABARÉ E NOEL ROSA:

Não conheci Ceci,
A dama do cabaré,
Ai de mim, ai de ti...
Uma fêmea, uma mulher.
A vida é de marcha
Uma primeira, uma ré.
A Lapa ainda chora,
Vila Isabel também...
Foi embora Noel Rosa,
Cantar no além...
Ora, ora, ora, minha senhora,
E a dama do cabaré?
É canto de violão,
É canto de viola.
Lá no céu,
Vê quem chegou?
O sambista Noel.
E o samba continua...
Pra mulher do cabaré,
Pra mulher da rua.
Ceci e Noel no céu,
Mário Lago tirou o chapéu.

domingo, 9 de janeiro de 2011

O CRACK NO MUNDO


O craque sob referência não é Cristiano Ronaldo do Real Madrid da Espanha nem Messi, craque da seleção argentina, jogador do Barcelona. Ambos bons jogadores. O crack em tela trata-se da maldita pedra, que vem assassinando a juventude brasileira e de todo mundo. O crack é um problema de saúde pública mundial. O crack é uma droga de calamidade.

Quando eu vi Mariazinha, a moça bonita que todos desejavam, vi o cadáver de um morta-viva, disse comigo mesmo: "Não, meu Deus, não pode ser! Mariazinha tão almejada, todos botavam o olho para pegá-la e agora, a moça clama piedade! Pobre da Mariazinha!

Em todo mundo são muitas as Mariazinhas e os Zés da Vida. Que perderam a juventude, que perderam o sentido da vida. Tendo o desprezo social!

Mariazinha quer viver! Mas não sabe como lutar contra o vício! O mal está enraizado no corpo e na alma.

É preciso uma campanha mundial contra a droga do crack que não joga para marca o gol do sucesso. Mas o gol da piedade, da tristeza e do desprezo.

Escrevemos um poema o CRACK em homenagem a Mariazinha:
O crack está devorando
Teu corpo atlético!
Nem de longe,
Nem de perto,
Tu não és continuidade...
A criança que sorria,
A menina que brincava
Enterrou-se na primavera!
A flor murchou!
Metamorfose de velha!
O que era flor,
Cheiro de colibri,
A flor seca voou!
Em que retrato,
Em que espelho
Esconde teu existir?

De Osvaldo Abreu para Mariazinha

domingo, 2 de janeiro de 2011

QUANDO O LÍDER CHOROU

" Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar..."

Ele chegou com o filho deficiente nos braços. Deu lá seu discurso do melhor orador de Sergipe Del Rey. Fez um discurso com poesia e filosofia. No dia de ontem, primeiro de janeiro do novo ano, foi a posse dos governadores do Brasil e a posse da mulher presidente de nossa pátria, Dilma Rousseff. Em Sergipe, foi a posse de Marcelo Déda Chagas , um capa-bode, nascido na cidade de Simão Dias, lá em 1960, no dia 11 de março.


O governador Déda é pai de cinco filhos. Torcedor do Flamengo, advogado e poeta.


O compadre do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, chorou e fez chorar, quando falou de seu pequeno Mateus, filho deficiente.


Até a dura Deputada Estadual, Ana Lúcia, chorou. E muitos choraram no Plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe.


Se fosse preciso renunciar o poder, para ver seu filho correr e brincar, não há dúvida, que o governador Déda deixaria o poder.


O menino Mateus quer viver. Passou vinte e um dias entre a vida e a morte.


Ao governador Déda, sucesso! Mateus é teu e vai viver. A Vossa Excelência um poema de quem também chorou:



O MAR É TEU


Quando suspiravas,


Pensava que morrias!


Indaguei a Deus


Por que assim nascias?


O Senhor na sua ocupação


Não me respondeu!


E no leito de meu filho,


Eu muito refltetia:


Que o maior poder


Um pai ele bem daria,


Para enxergar seu pequeno


Brincar e correr no dia a dia.